O ZOHAR – O Livro do Esplendor


O Zohar

Passagens selecionadas pelo Rabino Ariel Bension, Editora Polar, 368 páginas (14×21,5 cm, capa dura), ISBN 978-85-86775-06-2, 2010

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

O ZOHAR: O Livro do Esplendor

O Sêfer ha-Zohar (Livro do Esplendor) apareceu na Espanha no fim do século XIII e é a obra literária mais importante da Cabalá, a tradição mística judaica.

Como diz Gershom Scholem, um dos maiores especialistas nessa área, nenhuma outra obra “teve uma influência e um sucesso sequer aproximadamente similares ao seu. [...] uma fonte de doutrina e revelação igual em autoridade à Bíblia e ao Talmud, e com o mesmo grau canônico: o que é uma prerrogativa que não pode ser postulada por nenhuma outra obra da literatura judaica.”

O Zohar foi escrito na forma de uma longa novela em que grandes rabinos do século II discutem e explicam os segredos dos cinco livros de Moisés (a Torá) e de outros livros das Escrituras Sagradas. Dentre esses grandes rabinos, destaca-se a figura de Shimon ben Yochai, um dos maiores santos da história do judaísmo.

Esta seleção de passagens do Livro do Esplendor recém-lançada em português foi publicada em inglês em 1932 pelo rabino Ariel Bension. Nascido em Jerusalém, Bension era filho do rabino e místico Joshua Sion Halevi, que migrou de Fez, Marrocos, para Israel quando ainda jovem. Bension recebeu sua formação religiosa e rabínica na Academia Quasad-El (fundada por seu avô materno), no Instituto Tiféret Jerusalém e na Comunidade Santa de Beit-El. Posteriormente, estudou em universidades alemãs e suíças, onde graduou-se em história, filosofia, literatura e filologia asiática. Doutorou-se em filosofia e línguas semíticas na Universidade de Berna.

As passagens selecionadas e traduzidas por Bension ao inglês foram extraídas da terceira e da quarta partes das edições completas do Zohar: Idra Rabba (Grande Assembleia) e Idra Zuta (Pequena Assembleia). Na primeira delas estão as revelações feitas pelo santo rabi Shimon ben Yochai a seus discípulos durante sua vida; na segunda, as revelações que lhes fez quando estavam ao redor do seu leito de morte. Além dessas passagens, Bension também selecionou passagens do Zohar que falam do mestre Shimon e de seus discípulos, que constituem a terceira parte desta edição brasileira.

Na presente edição, as três partes do Zohar citadas são precedidas de um Prólogo do pensador espanhol Miguel de Unamuno e de um estudo de Bension sobre as origens do Livro do Esplendor.

***

“O Zohar, ou Livro do Esplendor, que Ariel Bension, enterrado há pouco em Jerusalém, aqui tão bem nos apresenta, é qualquer coisa como o Evangelho Místico dos hebreus sefarditas [...]”

Miguel de Unamuno (1864-1936). Filósofo e escritor espanhol

***

“Sêfer ha-Zohar, O Livro do Esplendor, assombrou e maravilhou leitores por setecentos anos, desde que apareceu misteriosamente na Espanha, no fim do século XIII. O Zohar é a obra-prima da Cabalá, a tradição mística judaica. O Zohar é um comentário sobre a Torá — os cinco livros de Moisés —, escrito na forma de uma novela mística. O herói é o rabi Shimon, filho de Yochai, um santo que viveu na Terra de Israel no século II.”

Daniel C. Matt. Tradutor para o inglês da edição completa do Zohar

***

“O livro do Zohar, a obra literária mais importante da Cabalá, [...] nenhuma teve uma influência e um sucesso sequer aproximadamente similares ao seu. [...] uma fonte de doutrina e revelação igual em autoridade À Bíblia e ao Talmud, e com o mesmo grau canónico, o que é uma prerrogativa que não pode ser postulada por nenhuma outra obra da literatura judaica.”

Gershom Scholem. Grande especialista em mística judaica

***

“Não são muito comuns as publicações destinadas à divulgação que têm o cuidado e a seriedade desta edição de excertos do grande compêndio místico judaico, O Livro do Esplendor (Zohar, em hebraico)…”

O Estado de São Paulo.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 2.789 outros seguidores

%d bloggers like this: