BEM-VINDO AO JUDAÍSMO


Retorno e Conversão

Maurice Lamm, Editora Sêfer, 464 páginas (16×23 cm, capa flexível), ISBN 978-85-85583-17-0, 1998 (3ª edição)

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

O JUDAÍSMO ACEITA CONVERSÕES?

SIM, o judaísmo aceita conversões. Embora não seja uma fé proselitista como outras, também não é hermética e inacessível às pessoas sinceras que desejam unir seus destinos a ele. Para tanto, há certas condições e todo um protocolo a ser cumprido. Faltava, sim, um livro em português que desmistificasse o tema e colocasse todos os pontos nos is.

O livro traz inúmeros depoimentos de pessoas que passaram pelo processo, descreve-o minuciosamente e apresenta o bê-á-bá do judaísmo para quem vai iniciar esta longa jornada de aprendizado e novas vivências.

No final, traz um capítulo especialmente escrito para a edição brasileira a respeito dos “marranos” ou cripto-judeus.

***

Este livro trata do processo tradicional de conversão ao judaísmo. Busca desmistificar um antiquíssimo ritual, libertando-o de uma teia de conceitos erróneos popularmente difundidos; procura esclarecer questões que, à primeira vista, podem parecer obscuras ou irrelevantes, e lida ainda com a aplicação da lei nas situações contemporâneas. O que tentei fazer foi iluminar o caminho para aqueles que desejam se tornar filhos de Abraão.

“A religião judaica não é simplesmente uma vocação; a conversão ao judaísmo não é apenas uma profissão de fé. A Religião judaica é uma trama de ideias profundas e ricas percepções, que ao longo de sua história gerou as crenças fundamentadas de toda a religião ocidental. Ela é a fonte dos ideais supremos e das mais dignas convicções do mundo o civilizado – entre elas, o conceito de um Deus único; o sistema de jurisprudência; a estrutura da Ética e da moral; a Bíblia e os Profetas; a noção de um livro de preces e de uma casa de orações; numerosas ideias, ideais e instituições e, não menos importante, de uma visão de mundo que tem dominado a cultura ocidental ao longo dos últimos 2500 anos”

Maurice Lamm

***

Sobre o autor:

Maurice Lamm é o autor de Jewish Way in Death and Mourning, Jewish Way in Love and Marriage e The Power of Hope.
Ele tem escrito e leccionado incessantemente sobre a ética na Guerra e na paz e sobre questões religiosas no âmbito de sanatórios e doentes terminais.

O Rabino Lamm ocupa uma cátedra no Curso Profissionbalizante de Rabinos no Seminário Rabínico da Yeshiva University de Nova York e é presidente do National Institute for Jewish Hospice. Foi rabino-senior da Beth Jacob Congregation, em Beverly Hills, da faculdade do Stern College for Women, e director de Campo dos Capelões Militares do National Jewish Welfare Board.

FRP – A MINHA MEMÓRIA DA INQUISIÇÃO


Alice Lázaro, Editora Caleidoscópio, 336 páginas (brochado), ISBN 978-989-8129-26-0, 2007

A partir de uma memória existente na Torre do Tombo, a autora reconstitui o tempo e as circunstâncias histórico-políticas de Fernão Roiz Penso, homem de negócios muito influente na corte de D. João IV, preso pela Inquisição. O documento fala da sua vivência nos anos subsequentes à Restauração e nos reinados seguintes.

A reconstituição aqui apresentada centra-se num período abrangido, entre 1672 e 1684.

Aborda as relações de poder entre a coroa e a igreja naquele período, em cujos laços o autor do manuscrito acabou por cair, visto ser cristão-novo, nascido em Castela durante a união dinástica e das suas relações particulares, onde se incluem vultos da cultura e da sociedade coevas.

Evidencia propositadamente, os aspectos burocráticos do tribunal do Santo Ofício, para expor o lado político-ideológico da sua acção, contrastante com a atitude esperada numa instituição de carácter confessional, desenvolvido com uma evidente preocupação sobre a intolerância. 

***

Sobre a autora:

Alice Lázaro exerceu a actividade de professora de História do ensino secundário durante mais de duas décadas. Durante esse período desempenhou tarefas como orientadora pedagógica de estágio integrado além de se ter dedicado ao estudo e divulgação do património local, tendo sido monitora e formadora de docentes nesta área.

No âmbito do estudo do património escolar – do antigo ensino industrial – fez pesquisa sobre materiais didácticos e actividades docentes, relativas ao último quartel do século XIX, em Portugal de que resultaram os estudos que levaram à sua dissertação de Mestrado em História da Arte, publicada em 2002 pela Câmara Municipal de Coimbra – Património de Coimbra – sob o título: Leopoldo Battistini: Realidade e Utopia – a influência de Coimbra no percurso estético e artístico do pintor italiano em Portugal (1889-1936).

Tem feito contribuições esporádicas com artigos da sua autoria em obras de colaboração, nomeadamente, Dicionário da História dos Descobrimentos Portugueses, direcção de Luís Albuquerque (Círculo de Leitores), em artigos de imprensa periódica e local e em conferências, versando o património e o ensino.

Nos últimos anos tem-se ocupado na investigação de fundos documentais existentes no ANTT (Torre do Tombo). Como resultado desse trabalho minucioso têm vindo a público obras de divulgação desses materiais com a devida contextualização histórica das quais destacamos os três volumes sob o título comum CAVALEIROS DE SANTIAGO SENHORES DA LAGOALVA.

NEGÓCIO FECHADO


Parábolas da Cultura Judaica e sua Luz sobre a Arte de Vender

David Godorovits e Silvio Acherboim, Editora Sêfer, 112 páginas (14×21 cm, brochura), ISBN 978-85-85583-43-9, 2002 (3ª edição 2007)

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Escrever a apresentação de um livro que contém experiências milenares é um convite fascinante. A arte de vender nasceu no seio do povo judeu, no período em que este foi proibido de possuir qualquer tipo de propriedades, como terras para cultivar ou imóveis para trabalhar.

Dizem que os responsáveis pelo grande sucesso dos judeus na arte de negociar são justamente os gentios, que não lhes deixavam outra alternativa de sobrevivência.

Essa proibição transformou os maiores sábios judeus de cada época em hábeis negociantes, que empregavam inteligência e valores éticos para fazer da única alternativa de sobrevivência, a maior oportunidade de crescimento.

Os autores de Negócio Fechado – David Godorovits e Silvio Acherboim – foram extremamente felizes ao escrevê-lo com base nesses ensinamentos que, certamente, provocarão nos leitores e profissionais do ramo uma grande reflexão sobre as suas actividades e um período de mudanças significativas.

Aquele que escolheu vendas como sua profissão, com toda a nobreza que ela carrega, terá neste livro um companheiro permanente, que permitirá que as histórias aqui contidas sejam lidas e relidas sempre, pois, em cada estudo dos textos, uma nova interpretação poderá surgir, permitindo avanços importantíssimos nas estratégias de actuação.

Jack Strauss

Empresário do ramo de varejo, director da empresa Sofá & Companhia e coordenador do PNBE (Brasil)

***

Senti-me muito honrado ao ser convidado a escrever a resenha deste livro, cujo conteúdo é a essência de uma cultura de 5769 anos. Na sua introdução, aborda-se a verdade na plenitude de sua nudez, raramente aceita porque tem uma só face: a que nos interessa, e não a que nos expõe.

Fala do pessimismo mas fala, em seguida, de esperança. Este contraste leva-nos a avaliar o que se possuía e o que foi perdido, porém sem jamais duvidar de que a beleza da vida pode sempre ser reencontrada, desde que se tenha dentro de si o Eterno, com a certeza de que a Ele não se pode enganar sem enganar a si próprio.

Este livro enfeixa de forma contundente tudo o que a vida me ensinou, pois, como vendedor de jóias, aprendi a ouvir confissões íntimas sem poder comentá-las; precisei ser solidário sem me tornar cúmplice. Consolidou-se assim em meu espírito o senso ético, e logo aprendi que o “olho no olho” e o aperto de mão sincero valem muito mais do que um contracto formal.

Leia, mas leia com atenção e fique mais atento ainda àquilo que lhe pareça óbvio, porque é no aparentemente óbvio, na simplicidade da frase já ouvida que estão as grandes verdades e ensinamentos que as dificuldades da vida, às vezes até por conveniência, nos fazem esquecer.

Negócio Fechado levou-me a uma deliciosa viagem retrospectiva no tempo, onde naveguei por minha própria vida. Com certeza, fará igualmente bem a você, leitor.

Medite sobre cada detalhe e incorpore à sua alma toda a riqueza e sabedoria que lhe serão proporcionadas. Elas poderão se tornar importantes ferramentas para os seus negócios, para suas actividades. Mas, acima de tudo, farão de você um ser humano mais feliz.

Alencar Burti

Presidente da Associação Comercial de São Paulo e Presidente da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Brasil).

***

Sobre os autores:

David Godorovits é natural de Salvador, na Bahia (Brasil), é pós-graduado em Engenharia Civil, com especialização em Física e Administração de Empresas, e actua na área de suprimentos. Mora no Rio de Janeiro há mais de 50 anos e é membro actuante em quase todas as entidades judaicas da cidade, onde encanta os participantes de suas palestras, prédicas e cursos com pérolas da milenar sabedoria judaica. É membro do conselho editorial da Sêfer e participou decisivamente na edição das obras SALMOS, A ÉTICA DO SINAI, TORÁ e O CAMINHO DOS JUSTOS. É casado com a pedagoga Augusta, pai de 3 filhos e 11 netos.

Silvio Acherboim é natural de São Paulo, é filho e neto de comerciantes que imigraram da Bessarábia. Pós-graduado em Administração de Empresas, MBA em Marketing de Serviços, actua directamente em vendas há 20 anos e é director da SMSª Sales & Marketing Solution, onde, através de histórias e textos, procura motivar pessoas a alcançar as suas metas de vida, pessoais e profissionais. É casado e pai de 3 filhos, que são a sua inspiração para viver e… vender.

%d bloggers like this: