WAHNON – CONTRIBUTO PARA UMA GENEALOGIA


Livrofoto

Edição bilingue (Português / Inglês); 726 páginas, p&b, 178x254mm; Abril 2011, edição do autor; © 2011 Luís Almeida Santos
Está disponível em www.wahnon.net

***
WAHNON – Contributo para uma Genealogia
Uma história da família Wahnon de 1670 a 2011 e as suas ligações aos Benoliel, Cohen, Hassan, Levy, Benrimoj, Bentubo, Morbey, Benaim, Pilo, Benshid, Delmar, Brigham, Abecassis, Bentata, Seruya, Bensusan, Benzaquen, Vera-Cruz, Carvalho, Martins, Melo, Veiga, entre outros. 
De Marrocos e Gibraltar a Cabo Verde, Portugal, EUA, Venezuela, Argentina, Brasil, Espanha, França, Israel e Itália.
***
Sobre o autor: A promover uma pesquisa genealógica sobre os Wahnon desde 1985 – e tendo publicado a 1ª genealogia em 2000 em CDRom – desde o início fiquei admirado com os rumos que uma antiga família judia do século XVII pôde tomar ao longo dos tempos, todos os seus ramos e as novas pátrias, as espantosas histórias encontradas, os rostos e os lugares, as vidas dos nossos antepassados!
Com a ajuda entusiástica de alguns dos seus membros e de registos oficiais,  um enorme trabalho genealógico foi possível ao longo destes tempos e grande parte da história da família pode agora ser contada às gerações presentes e a todas as futuras.
O nome é uma herança de família mas o que podemos contar acerca dele é o seu património.
Partilhemo-lo então com todos os descendentes. Luis Almeida Santos
***

ENGLISH VERSION:

A Wahnon family history from 1670 to 2011 and it’s connexions to the Benoliel, Cohen, Hassan, Levy, Benrimoj, Bentubo, Morbey, Benaim, Pilo, Benshid, Delmar, Brigham, Abecassis, Bentata, Seruya, Bensusan, Benzaquen, Vera-Cruz, Carvalho, Martins, Melo, Veiga, among others. 
From Morocco and Gibraltar to Cape Verde, Portugal, USA, Venezuela, Argentina, Brazil, Spain, France, Israel and Italy.
Bilingual edition (English / Portuguese); 726 pages, b&w, 7×10 inch, april 2011, author’s edition; © 2011 Luís Almeida Santos
Available at: www.wahnon.net

About the author: Doing a genealogical research in Wahnon since 1985 – and published the first genealogy in 2000 in CDRom – soon the author was amazed with the paths that an ancient Jewish family from the XVII century could take all over the time, the all new branches and new homelands, the amazing stories found, faces and places, our ancestor’s lifes!

With the enthusiastic help from some of his members and official records, a huge genealogical work was possible for all these years and a great part of the  family history may now be told to present and all future generations.
The surname it’s a family heritage but what we can tell about it is the family patrimony.
Let’s share it with the all descendants. Luis Almeida Santos

***

Apelidos Presentes – Surnames

 

A Abecassis, Abenatar, Abergel, Abitbol, Aboab, Aboim, Abreu, Abudarham, Acrish, Adamo, Aflalo, Agostinho, Aguiar, Alberio, Albuquerque, Alcobia, Alhinho, Almas, Almeida, Almosnino, Alvarez, Alves, Amar, Amaral, Amorim, Amram, Amselem, Amzalak, Anahory, Ancona, Anderson, Andrade, Anjos, Antão, Araújo, Arriaga, Asayol, Attias, Auday, Audette, Avelino, Avillez, Ayala, Azancot, Azancot, Azerad, Azevedo, Azinhais, Azra, Azuelos, Azulay.

B Baert, Balensi, Bandeira, Banon, Baptista, Baquish, Bárbara, Barbosa, Barchillon, Barreto, Barros, Baruck, Basílio, Basto, Beguin, Belcher, Belchior, Belilo, Belilty, Belisha, Bellém, Bello, Belo, Benabu, Ester, Benady, Benaim, Benamor, Benarroch, Benarroch, Benasayag, Benatar, Benavides, Benbunam, Benchimol, Bendahaan, Bendayan, Bengualy, Benguigui, Benhayon, Benhayot, Benifla, Benihamu, Beniso, Benjamin, Benlisha, Benmiyara, Benmuyal, Benoliel, Benrimoj, Benros, Bensaadon, Bensadon, Bensaude, Benselum, Benshid, Benshimol, Bensimon, Bensmon, Benson, Bensusan, Bentata, Bentolila, Bentub, Bentubo, Benyunes, Benzadon, Benzakein, Benzaquen, Benzecry, Benzimra, Berdugo, Bergel, Beriro, Berish, Bermudez, Bernardo, Berrios, Berti, Biitan, Biscaia, Bismuth, Bitton, Blackwell, Blank, Bloom, Bonina, Bonito, Botbol, Botelho, Bottey, Bradish, Braga, Bragança, Bramão, Branco, Bray, Brennan, Brigham, Brilhante, Brito, Brum, Burak, Busher, Busto, Butler, Buzaglo.

C Cabesa, Cabral, Caetano, Caldeira, Calheiros, Calvário, Camilo, Campos, Canas, Candeias, Candido, Cansino, Cantari, Capela, Cardoso, Carrascalão, Carrelo, Carrelo, Carriche, Carrilho, Carroll, Carter, Carvalhal, Carvalho, Castelo, Castro, Cavaco, Cavalleri, Cavazza, Cazes, Celestino, Chalcoski, Chandade, Chantre, Chavez, Chejfec, Chibante, Chocron, Cimo, Claus, Clawson, Cobos, Cochosel, Coe, Coelho, Cohen, Comando, Conceição, Conn, Connolly, Conquy, Consciência, Corré, Correia, Cortes, Costa, Coster, Cotrim, Cotta, Coutinho, Croucher, Cruz, Cuby, Cunha, Custódio, Cyrne.

D Dahan, Damora, Danan, Dar, Daugbjerg, David, Davis, Dawn, Defrance, Degand, Delgado, Delmar, Detmers, Dias, Dichi, Dickson, Dikson, Dimas, Diniz, Dionísio, Dixon, Domingos, Duarte, Duo, Durão, Dusoir.

E Eça, Edwards, Eisenoff, Elancry, Eleini, Eliott, Elmalej, Elnijar, Eltuaty, Encarnação, Ennes, Ermano, Escogido, Esmael, Ettedgui, Evora, Ezaoui, Ezaoui.

F Fabre, Fansler, Farache, Feijóo, Feldman, Ferdinand, Fernandes, Feron, Ferrebee, Ferreira, Ferro, Fialho, Figueiredo, Fimat, Finzi, Firmino, Fischel, Fisher, Flamengo, Fonseca, Fontes, Fortes, Fortuna, Fragoso, Framm, Francisca, Franco, Freidman, Freire, Freitas, Funny.

G Gabay, Gaivão, Gallardo, Gallo, Galvão, Gama, Gameiro, Gamero, Garbes, Garção, Garcia, Garrido, Garson, Genie, Gharbi, Ghira, Gilbert, Gloria, Gluck, Godinho, Goinhas, Goldmann, Goldsmith, Gomes, Gonçalves, Gonsalves, Gonzales, Gonzalez, Gouveia, Graça, Grácio, Granja, Green, Greenwald, Grego, Grossman, Guahnon, Guanano, Guerra, Guilherme, Guilman, Guinon, Gusmão, Guterres.

H Hadida, Hale, Hammermeister, Hanah, Hannah, Harbuck, Hasan, Hatchuel, Hausman, Heinrich, Henriques, Herring, Hilario, Hilt, Hoffer, Hoffman, Hollenbeck, Horner, Horner, Horta, Hotchkin, Hughes.

I Imbassahy, Inon, Irving, Isaac, Israel, Izquiano.

J Jasko, Jasqui, Jesus, Jimenez, Johnstone, Jones, Juliana, Junqueira.

K Kacan, Kalychurn, Karp, Katz, Kelly, Kirk, Klar, Kolinsky, Kunz, Kuska.

L Lacerda, Lackie, Ladeira, Ladomerszky, Laferrier, Lagido, Lamounier, Lapak, Laver, Leal, Leesu, Leitão, Leitch, Leite, Lejo, Lemay, Levi, Levy, Lima, Linden, Lindo, Lisboa, Lôbo, Locayo, Locke, Lopes, Loureiro, Lourenço, Lousã, Lozon, Lucas, Luciardo, Luís, Lukey, Lundegaard, Lupi, Luz.

M Macambira, Macedo, Machado, Madeira, Magalhães, Magaly: Mahoney, Maia, Maidana, Mamam, Mana, Manahan, Manoel, Marcelino, March, Marchueta, Mariano, Marín, Marques, Marrache, Martin, Martinho, Martins, Mascarenhas, Massias, Mateus, Matias, Mattana, McDowell, McIlroy, McIlveen, McKinney, Medina, Meehan, Mello, Melo, Meloni, Mendelsohn, Mendes, Mendia, Mendoça, Meneses, Menezes, Mentler, Mercês, Metello, Miller, Miranda, Mohr, Montanha, Montay, Monteiro, Mooi, Morais, Morbey, Moreira, Morey, Morgado, Morris, Mosso, Mota, Moura, Mourão, Mueller, Muguet, Munell, Múrias.

N Nahon, Nahum, Nascimento, Naypliotou, Nazareth, Nesbaum, Neto, Neumann, Neves, Nogueira, Noronha, Nunes, Nuñez.

O Olazabal, Oliel, Oliveira, Oliver, Orabuena, Orey, Ortega, Ortigão, Osório, Ottolini, Ovelheira.

P Pacheco, Pack, Padeira, Pagan, Palha, Palma, Panteleimonov, Paredes, Pariente, Passalacua, Passos, Pate, Patucca, Paulo, Peeters, Pennino, Pereira, Peterfalvi, Peterson, Phillips, Phyllis, Piccioto, Pierre, Pilo, Pimenta, Pinheiro, Pinto, Pires, Pisaneschi, Plaza, Pontes, Portela, Posadas, Potaznik, Potgieter, Power, Powles, Prates, Pratt, Presas.

Q Quaresma, Quintana, Quintela.

R Ramagge, Ramalho, Ramires, Ramirez, Ramos, Rato, Rebello, Redwine, Rego, Reis, Resnik, RestivoRevoredoRhodes, Ribeiro, Ricardo, Roberts, Rocha, Rocheteau, Rodrigues, Rofe, Rölleke, Romansky, Romão, Roque, Rosa, Rosado, Rosell, Rosseli, Ruah, Ruas, Ruiz, Rumpeler, Russel, Rutgers.

S Sá, Saavedra, Sabah, Saint Aubyn, Sala, Salazar, Saldanha, Sampaio, Sananes, Sanches, Sandals, Santiago, Santo, Santos, Saramago, Sarmento, Schafferson, Schoener, Schultz, Scime, Scoggins, Seabra, Sebastião, Secca, Seidenfaden, Sena, Onélia, Senior, Sequerra, Serfaty, Serradas, Serruya, Shaw, Sherman, Shukrun, Silva, Silveira, Sistelo, Skolnik, Smith, Soares, Sobel, Soeiro, Sol, Sotomaior, Sousa, Souto, Spindel, Stanley, Stauffer, Strum, Suissa, Sullivan, Sultan, Supino.

T Taurel, Tavares, Tedesqui, Teixeira, Teles, Teret, Thomas, Thompson, Timperley, Tissie, Tojal, Toledano, Tomás, Touhami, Trindade, Trovão, Truzman, Tsivin, Tucker, Tudela, Tudesqui, Turner, Turpin.

U Urban, Uzcategui.

V Vale, Valido, Valido, Valle, Valterio, Van Den Broek, Vanole, Varandas, Varela, Vasconcellos, Vasconcelos, Vaz, Veiga, Ventura, Vera-Cruz, Viana, Vicente, Vieira, Vilhena, Vinhas, Vinisti, Viterbo, Vitorino, Voorst, Voss,

W Wahnon, Waldrop, Wanano, Wang, Warburton, Wasson, Weber, Webster, Weisfogel, Weisman, Wellens, White, Whitley, Widmer, Winer, Winn, Wintermute, Wojtkunski, Wood, Worley, Wyatt.

X Xara-Brasil. Y Yahudah, Ybarra, Yenon, Yenon, Yoshii, Young.

Z Zagury, Zappalá, Zara, Zeital, Zlotowski.


Anúncios

PEQUENOS CONTOS DE ENREDO INDETERMINADO


Capa moghrabi

Alberto Moghrabi, Editora Sêfer, 176 páginas (14×21 cm, brochura), ISBN 85-85583-29-0, 2001

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Crónicas

― Vó! Quando é que você vai morrer?

A avó olha para o netinho, meio surpresa, meio achando graça, mas não perde a compostura.

― Ah, vai demorar… Eu vou morrer depois do seu casamento!

― Você promete?

*

Parece até que eles não faziam outra coisa. Sem TV ou Internet, casar e ter filhos era a solução. Como eles casavam muito cedo e ficavam tendo filhos por décadas, acabavam tendo tios mais novos que sobrinhos, mães e filhas gestavam concomitantemente.

*

― Ah é? E os terroristas? Têm um monte de terrorista lá e esses, meu filho, estão sempre em guerra! Tem bomba no meio da rua. Eles jogam foguetes dentro da sua casa e virando para o pai:

― Fala alguma coisa também! Não vê que o menino quer nos abandonar? Ele já está de malas prontas para ir embora, está indo para a guerra!

*

Durou pouco a minha alegria. Me vi, sentado na frente de um dos titãs da psicologia nacional, num ambiente pouco arejado e muito mal iluminado, um olhando para o outro durante quase uma hora. Pensei comigo mesmo: ei, não vai me dizer quais as regras do jogo? Será que ele não estava me enxergando direito? Teria dormido?

*

Os amigos, enquanto comemoravam, já iam me avisando que ser pai de uma menina não seria fácil. Se fosse feia… problema. Se fosse bonita… problemão.

***

Colocar em pequenas histórias a vida que levamos e chamar a atenção do leitor para que inicie e, no final, se satisfaça é uma tarefa árdua que os cronistas têm se esmerado em alcançar.

Alberto Moghrabi tem esse dom, essa finalidade de passar ao leitor a sensação de ter visto ou vivido a situação descrita. Sua narrativa prende a atenção até ao fim e sempre nos oferece uma boa surpresa.

Com um linguajar muito prático e acessível, conduz o leitor pelas histórias de maneira a ele mesmo se situar como protagonista de cada cena.

A escolha dos temas, que são relacionados a todos os aspectos da vida, torna-se peculiar quando Moghrabi fala do Egipto, onde nasceu e de onde, muito pequeno, veio para o Brasil.

Não só nessas, mas a cada crónica o talento de escrever se sobressai e, a cada instante, percebe-se algo como se alguém estivesse contando as histórias ao vivo, ao nosso lado.

É uma leitura para divertir e fazer reflectir, fazendo saltar aos olhos (e coração) alegrias e emoções.

Nessim Hamaoui

Activista da Comunidade Judaica de São Paulo e director geral do jornal “Semana Judaica”.

***

Sobre o autor:

Alberto Moghrabi nasceu em Alexandria, no Egipto, em 15 de Novembro de 1955. Chegou ao Brasil com a família em Maio de 1957. É formado em economia pela PUC-SP. Escreve crónicas para o jornal “Semana Judaica”. É casado com Viviane e tem dois filhos, Marina e Alexandre.

CONTOS DE TSADIKIM – VAICRÁ


Contos  Vaicrá

G. MaTov, Editora Sêfer, 272 páginas (16×23 cm, brochura), ISBN 978-85-7931-004-1,  2010

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Contos de Tsadikim – Vaicrá (3º volume da coleção)

O Talmud ensina que um aluno pode aprender mais das ações de seu mestre do que de suas palavras, pois existem preciosas lições a serem aprendidas dos atos praticados por pessoas boas, os quais fazem as pessoas ao seu redor absorverem os ensinamentos da Torá desses “anjos que caminham entre os mortais”, como bem ilustra o sábio Chazon Ish.

Este livro é, na verdade, uma arca do tesouro repleta das mais belas histórias do Talmud, do Midrash e de grandes homens através dos séculos. Elas estão repletas da sabedoria da Torá, esse elixir de inspiração que preenche e dá sentido à vida do povo judeu.

Esta coletânea está dividida de acordo com as leituras semanais da Torá, para que cada Shabat seja enriquecido com histórias fascinantes relacionadas à parashá correspondente. 
Mas não pense o leitor que poderá ler somente as histórias daquela semana e abandonar o livro até a próxima… Esse é um livro que – felizmente – será folheado diversas vezes!

Com linguagem e apresentação adaptadas aos dias de hoje, Contos de Tsadikim já é considerado um best-seller em diversas partes do mundo. Do começo ao fim, enriquece o conhecimento e faz brilhar mais forte a chama da Torá em nossos corações. 
Que possamos aprender de nossos Tsadikim lições que carregaremos para o resto de nossas vidas, iluminando e indicando o caminho certo a seguir.

***

Prefácio à Edição Brasileira

A edição do terceiro volume da série Contos de Tsadikim sobre o Livro de Vaicrá têm um gostinho todo especial. Nossos sábios nos instruem que as crianças devem iniciar o seu estudo justamente pelo terceiro livro da Torá, aquele que trata das oferendas que eram levadas ao altar do Beit Hamicdash.

O Rav Assi disse: “Por que iniciam (o estudo) com as criancinhas com o Livro de Torat Cohanim – Vaicrá e não com o livro de Bereshit? Porque as crianças são puras e os corbanot (oferendas) são puros. Venham os puros e estudem sobre os puros.” (Vaicrá Rabá, cap.7 letra 3)

Apesar de o Livro de Bereshit ser o início da história e, didaticamente, teria certa lógica iniciar o estudo pelo começo, nossos sábios dão preferência à “essência”. Assim, quando estudam o assunto das oferendas trazidas pelo homem ao Todo-Poderoso com o coração puro, a pureza das crianças que, em sua ingenuidade, não experimentaram a malícia e o pecado, têm uma força especial sobre o próprio carácter das crianças e, de forma mística, sobre a humanidade como um todo.

Muitas vezes, a forma e a didática ditam as diretrizes sobrepondo-se até sobre os conteúdos. Mas, desta vez, a essência foi prioritária em relação à “forma”,  a alma ao corpo, o coração à razão e “o quê” ao “como”.

Vamos então aproveitar, pais e filhos, para curtirmos novamente as histórias sobre as passagens da Parashat Hashavúa, para embelezarmos a santidade de nossas refeições do Shabat. Vamos sentir a pureza de nossas almas e a beleza da nossa Torá.

Rabino Raphael Shammah

CONTOS DE TSADIKIM – SHEMOT


Tsadikim  shemot

G. MaTov, Editora Sêfer, 272 páginas (16×23 cm, brochura), ISBN 978-85-85583-90-3, 2008

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Contos de Tsadikim – Shemot (2 volume da coleção)

O Talmud ensina que um aluno pode aprender mais das ações do seu mestre do que de suas palavras, pois existem preciosas lições a serem aprendidas dos atos praticados por pessoas boas, os quais fazem as pessoas ao seu redor absorverem os ensinamentos da Torá desses “anjos que caminham entre os mortais”, como bem ilustra o sábio Chazon Ish.

Este livro é, na verdade, uma arca do tesouro repleta das mais belas histórias do Talmud, do Midrash e de grandes homens através dos séculos. Elas estão repletas da sabedoria da Torá, esse elixir de inspiração que preenche e dá sentido à vida do povo judeu.

Esta colectânea está dividida de acordo com as leituras semanais da Torá, para que cada Shabat seja enriquecido com histórias fascinantes relacionadas à parashá correspondente. Mas não pense o leitor que poderá ler somente as histórias daquela semana e abandonar o livro até à próxima… Esse é um livro que – felizmente – será folheado diversas vezes!

Com linguagem e apresentação adaptadas aos dias de hoje, Contos de Tsadikim já é considerado um best-seller em diversas partes do mundo. Do começo ao fim, enriquece o conhecimento e faz brilhar mais forte a chama da Torá em nossos corações. Que possamos aprender de nossos Tsadikim lições que carregaremos para o resto de nossas vidas, iluminando e indicando o caminho certo a seguir.

***

Prefácio à Edição Brasileira

Após o grande sucesso da publicação de Contos de Tsadikim – Bereshit, tenho a grata satisfação de apresentar o segundo volume dessa coleção: Contos de Tsadikim – Shemot.

Muitos pais me relataram entusiasmados sobre o grande benefício percebido no ambiente da mesa do Shabat e no relacionamento com seus filhos por meio das histórias desta coleção.

No Livro de Shemot (Êxodo), recebemos a ordem Divina sobre a construção do Mishcan (Tabernáculo), a tenda na qual a Shechiná (Presença Divina) se revelava. No lugar mais sagrado do Mishcan, a sala do Codesh Hacodashim (“Santo dos Santos”), ficava a Arca Sagrada onde estavam guardadas as Tábuas da Lei. Sobre a Arca havia dois querubins, uma alusão aos anjos que pairavam sobre a Arca.

Qual o significado desses anjos e como entender seu valor, uma vez que o judaísmo sempre se afastou de qualquer símbolo material de forças espirituais?

A resposta é que esses anjos tinham faces de crianças (em aramaico keruvia, que quer dizer “como crianças”). Na verdade, era isso que estava sobre a Arca que guardava as Tábuas: a mensagem de que deveríamos investir na educação das novas gerações a fim de assegurar a preservação da Torá oelo povo judeu.

Constam no Midrash Shir Hashirim as palavras do Rabi Meir:

“Na hora em que o Povo de Israel estava no Monte Sinai para receber a Torá, ouviu-se o seguinte diálogo entre Deus e o povo judeu:

– Eu decidi entregar a Torá a vocês – disse Deus. – Contudo tragam-me bons fiadores que Me garantam que vocês a respeitarão, e então Eu a darei a vocês.

– Senhor do Universo – respondeu o povo, – nossos antepassados serão nossos fiadores! Nossos profetas serão nossos fiadores!

– Mas estes também necessitam de fiadores por eles mesmos – disse Deus. – Tragam-Me bons fiadores, e então Eu darei a Torá a vocês.

– Nossos filhos serão nossos fiadores! – retrucou o povo judeu.

Ao ouvir isso, Deus afirmou:

– Estes certamente serão bons fiadores. Por causa deles Eu darei a Torá a vocês!”

Ao contar histórias como as deste livro aos nossos filhos  estamos garantindo que a Torá se perpetue em nosso povo. As nossas crianças são os verdadeiros “anjos da guarda” das Tábuas da Lei. Cada pai e cada mãe que transmite mais um ensinamento do Sinai está se aliando e reforçando a corrente milenar de nossa Torá e dando mais um passo rumo ao nosso ideal.

Por fim, gostaria de agradecer e parabenizar os patrocinadores desta ediçãoo por darem esta grande oportunidade a toda a comunidade brasileira.

Rabino Raphael Shammah

A ARTE DA TESHUVÁ – COM A TRADUÇÃO INTEGRAL DE “LUZES DE RETORNO”


Capinha arte teshuvá

Rabino David Samson e Tsvi Fishman/Rav kook, Editora Sêfer e Bnei Akiva, 384 páginas (16×23 cm, capa dura), ISBN 85-85583-65-7, 2004

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Orot Hateshuvá – Com a tradução integral de Luzes de Retorno do Rabino Avraham Yitschac Hacohen Kook

“A Teshuvá é o sentimento mais saudável da alma. Uma alma saudável, em um corpo saudável, inevitavelmente chegará à grande felicidade da Teshuvá, sentindo em si o maior prazer da natureza.”

Luzes de Retorno 5:1

***

Rabino Avraham Yitschac HaCohen Kook (1865-1935)

Ainda como menino-prodígio no estudo da Torá na Europa Oriental, o menino Kook exibia grande intelecto, alma e personalidade. Além da maestria conceitual em lei e filosofia judaicas, mergulhou no calor e na mística chassídica. Ansioso pela libertação nacional judaica, o retorno à Terra Santa após dois mil anos , adoptou o hebraico como sua língua no dia-a-dia. O rabino Kook abandonou as proeminentes posiçlões rabínicas e tornou-se de todo coração, rabino de uma pequena comunidade judaica em Iafo, na Terra de Israel. Mais tarde assumiu o posto de Rabino-Chefe de Jerusalém e de primeiro Rabino-Chefe da Terra de Israel. Fundou a maior academia rabínica de Israel, Ieshivat Mercaz Harav, com a qual cumpriu seu sonho de formar jovens líderes profundamente religiosos, com grande actuação nos assuntos humanos e que se sentem parte integrante de sua nação. O rabino Kook é considerado um pensador moderno original e destacado que mistura psicologia, sociologia e religião em uma visão de mundo unificada e abrangente.

JARDIM DAS ALMAS


Jardim das Almas

Rabino Avraham Greenbaum, Editora Sêfer, 176 páginas (14×21 cm, brochura), ISBN 978-85-85583-83-5, 2010

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Jardim das Almas – Ensinamentos do Rebe Nachman de Breslav sobre o sofrimento

Jardim das Almas é uma das mais belas e aclamadas lições do Rebe Nachman de Breslav (1722-1810). Seus ensinamentos advêm do sofrimento do próprio Rebe – em consequência da trágica perda de seu filho ainda bebê – e oferece orientação e conforto para lidar com a dor e o sofrimento em nossas próprias vidas e daqueles que nos cercam.

Por que nós normalmente fechamos os olhos nos momentos de dor? Esse reflexo físico demonstra um anseio espiritual de transcender o sofrimento, focando nosso olhar interno no objetivo final desta vida. É a crença na bondade Divina que torna possível encontrar significado nos testes deste mundo, superar as adversidades e transformá-las em experiências capazes de nos elevar e alcançar uma alegria profunda. Esta edição traz ainda outros ensinamentos relacionados ao tema e preces elaboradas por esse grande conhecedor da alma humana.

***

Fé e esperança são os princípios fundamentais capítulo central deste livro: a bela lição chamada de “Jardim das Almas” (Licutê Moharan I:65). Escrito a partir do seu próprio sofrimento, provocado pela perda de seu filho Shlomo Efraim ainda bebé, o Rebe Nachman oferece orientação e conforto para lidar com a dor e o sofrimento. O ponto crucial que daqui emerge é que o sofrimento nos é enviado com o sentido de nos aproximar de Deus. Quando acreditamos e reconhecemos isso firmemente, é possível encontrar maneiras de utilizar a própria dor e as adversidades para nos aproximar do objectivo final nesta vida.

Devido à grande distância existente entre o mundo de hoje e a fé, mesmo os fundamentos da Torá sobre a dor e sofrimento soam estranhos a muitas pessoas. Por isso, o capítulo “Uma questão de fé” apresenta uma síntese de algumas das ideias centrais que sustentam o ponto de vista da Torá. Já o capítulo “A visão da Torá sobre o sofrimento” apresenta trechos do livro “O Caminho de Deus”, do Rabino Moshe Chaim Luzzato (o Ramchal), que constituem a essência dos ensinamentos clássicos da Torá sobre este assunto.

Rabino Avraham Greenbaum

Conheça também a obra Anatomia da Alma do Rabino Chaim Kramer (publicada pela editora Sêfer)

***

Sobre o autor:

O Rabino Nachman de Breslav nasceu em 1º de Nissan de 5532 (1772), na cidade de Medzeboz, na Ucrânia, e era bisneto do Baal Shem Tov (“Mestre do Bom Nome”), o fundador do movimento chassídico. Ao se destacar como grande “tsadic” (justo), sábio da Torá, professor e mestre chassídico, passou a atrair seguidores que o consideravam sua fonte mais importante de orientação espiritual na busca por Deus. Ele viveu na cidade de Breslav, na Ucrânia, do outono de 1802 até à primavera de 1810, mudando-se depois para Uman, aonde veio a falecer de tuberculose seis meses depois, em 18 de Tishrê de 5571 (1811), aos trinta e oito anos, sendo ali enterrado.

O Rebe Nachman era um grande místico e cabalista, mas, ao mesmo tempo, um homem prático e realista. Ele narrava contos de príncipes e princesas, mendigos e reis, demónios e santos, e ensinou sobre a necessidade de se viver com fé, honestidade e simplicidade.

Quando o Rebe Nachman faleceu, seus seguidores não foram capazes de encontrar ninguém que o substituísse. Em vez de nomearem outro Rebe, eles continuaram a buscar inspiração e orientação nos ensinamentos do próprio Rebe Nachman, que continuou sendo o Rebe deles. Os seguidores do chassidismo de Breslav têm agido assim desde então, estudando seus escritos e empenhando-se na prática de seus ensinamentos em suas vidas. Nesse sentido, pode-se afirmar que o Rebe Nachman continua a ser o líder dos seguidores do chassidismo de Breslav.

ENXERGANDO DEUS – DEZ LIÇÕES DE VIDA DA CABALÁ


Enxergando Deus

Rabino David Aaron, Editora Sêfer, 176 páginas (14×21 cm, brochura), ISBN 978-85-7931-005-8, 2009

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Enxergando Deus – Dez lições de vida da Cabalá

Deus está diante de seus olhos – os olhos da alma.

Só é preciso a lente certa para enxergar…

Neste livro inspirador, importante e prático, o Rabino David Aaron, fundador do renomado Instituto Isralight, nos ensina a ver Deus através da sabedoria da Cabalá. Tornando antigas e poderosas verdades acessíveis aos leitores atuais, Enxergando Deus oferece orientação para se viver uma vida mais significativa, além de trazer exercícios simples para colocar os princípios em prática. Profundo e estimulante, Enxergando Deus nos habilita a trazer o extraordinário a tudo que fazemos e a tudo que somos. Aprenda a…

·Superar medos de infância sobre Deus, que limitam a felicidade e a realização espiritual.

·Redescobrir o amor e a compaixão de Deus e a preencher a vida com mais criatividade e vitalidade.

·Atingir nova clareza e maior consciência – para ver e aproveitar o extraordinário naquilo que é habitual.

·Conectar-se à força Divina de vida, única fonte verdadeira de amor, sabedoria e sucesso.

Deus está aqui, agora, esperando para ser visto, querendo ser conhecido. Tudo o que você tem de fazer é abrir os olhos para enxergar, abrir o coração para sentir e abrir a mente para conhecer.

***

Inspirador, sábio, afetuoso e espirituoso… David Aaron nos oferece uma compreensão prática da Cabalá, revelando os segredos de se viver uma vida emocionante, feliz e mais significativa.

Deepak Chopra, autor de “Como conhecer Deus”

***

Há algumas noites, eu conversava com um aluno sobre crer em Deus e percebi, mais uma vez, a dificuldade das pessoas em relação a esse tema. Neste livro, o Rabino David Aaron nos impacta mais uma vez, ao mostrar como ajudar as pessoas a entender esse relacionamento e como abrir uma pequena porta em seus corações para, devagarinho, conseguirem sentir algo nunca antes imaginado. Essa facilidade em lidar com temas tão abstratos de forma tão simples e gostosa é simplesmente incrível! Com certeza, este livro será um dos grandes companheiros dos jovens em suas buscas pela verdade. Aliás, se você gostou do Luz Infinita, não perca este por nada!

Rabino Shlomo Safra

***

Após ler este excelente livro, pela primeira vez realmente senti os poderes espirituais que a Cabalá transmite. Para mim, o que era um exercício filosófico e abstrato passou a ser uma realidade visceral. O Rabino David Aaron nos faz ver o contexto Divino de toda existência nas tarefas do dia-a-dia e nos mostra o caminho para alcançar esse objetivo.

Dr. Gerald Shroeder, autor de “A face oculta de Deus”

***

Convincente, claro e fácil de ler… Adoro, adoro, adoro este livro!

Yitta Halberstam, autora da série “Pequenos Milagres”

***

Enxergando Deus é um livro necessário atualmente, pois abrirá seus olhos para experimentar a vida de novas maneiras.

Rabino Simon Jacobson, autor de “Rumo a uma Vida Significativa”

***

[David Aaron] apresenta com êxito um dos conceitos mais complexos da Cabalá em linguagem simples e de fácil compreensão.

Publishers Weekly

***

Enxergando Deus traz um olhar “pé-no-chão” sobre a Cabalá… David Aaron conta histórias de sua vida, que tornam o texto interessante e acessível.

Revista “Spokesman”

***

Sobre o autor:

O rabino David Aaron é um pensador perspicaz, escritor produtivo e de fácil compreensão, e educador cheio de inspiração e entusiasmo. Ele é fundador e reitor do Instituto Isralight, organização internacional que promove o tão difundido renascimento da consciência por meio do retorno às raízes espirituais e valores fundamentais que deveriam ser a essência da vida quotidiana. O instituto tem, em Israel e na América do Norte, centros de estudos que oferecem programas para descanso e aprendizado, seminários, “escapadas espirituais” de fim-de-semana, workshops sobre crescimento espiritual, cursos de formação de líderes, viagens à Israel e programas de trabalho voluntário em Israel.

O rabino David Aaron acredita que o básico da espiritualidade é constituído das coisas mais profundas e também das mais ignoradas na educação contemporânea. Nos últimos 18 anos, ele tem se dedicado a compartilhar a antiga sabedoria da Torá e do misticismo judaico, e a incentivar as pessoas a embarcar no longo processo de transformação, de amor e de ganho de força pessoal.

Filho de um sobrevivente do Holocausto, David Aaron se esforça desde muito jovem para entender o potencial do mundo, tanto para o ódio quanto para o desejo de propósito, amor e criatividade. A sua própria jornada espiritual o levou à Israel, onde estudou Torá e Cabalá com grandes mestres, como o grande rabino Shlomo Fischer (Shelita). Em 1979, David Aaron recebeu ordenação rabínica da Yeshivá (centro de estudos) Israel Torah Research Institute (ITRI).

Palestrante popular e convidado frequente de programas de TV e de rádio, David Aaron atrai a cobertura da mídia, incluindo o talk-show americano Larry King Live e o canal americano de TV E! Entertainment. Ele mora na Cidade Velha de Jerusalém com a mulher, sete filhos e quatro netos.

%d bloggers like this: