ENSAIOS SOBRE A TORÁ – VAICRÁ


Ensaios  Vaicrá

Ruben Rosemberg, Editora Sêfer, 291 páginas (16×23 cm, capa dura), ISBN 978-85-7931-013-3, 2010

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Colectânea de ensaios sobre as porções semanais da Torá – o volume 3 é sobre o Levítico-, apresentando uma visão inovadora e bastante didática sobre os temas tratados. Capa dura.

“Diferentemente do senso comum, educar não é “treinar” ? levar o aluno a fazer coisas por medo ou costume. Educar significa ajudá-lo a começar seu próprio caminho, até o ponto em que o aluno irá caminhar só, autonomamente. Eu tive o meu início e alguém que me ajudou a caminhar por meu próprio caminho como um verdadeiro mechanêch (educador/inaugurador). 
Nas aulas do Moré Rubinho pude ter contato com o grande profissional e educador que é. Graças a suas aulas, pude chegar onde estou hoje: ensinando Torá em Érets Israel. Mas também, fora das quatro paredes das salas de aula, pude conhecer o grande mechanêch que é quando não está lecionando. Afinal, educar não é só dar aulas, mas também tratar os alunos como filhos e acompanhá-los por toda a vida. E agora, tivemos o mérito de conhecer mais um lado do grande mechanêch: o de escritor. 
Depois do grande sucesso dos dois primeiros volumes de sua série, temos agora o prazer de receber mais um: Ensaios Sobre a Torá – Vaicrá, que me levam de volta a um tempo muito especial da minha vida, onde tudo começou: dentro das quatro paredes do Colégio Bialik.”

Rabino Daniel Segal

***

Sobre o autor:

Ruben Rosenberg estudou no Colégio Barilan e foi ativista do Movimento Juvenil Bnei Akiva do Rio de Janeiro. Cursou a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFRJ, transferindo-se posteriormente para o Technion (Israel Institute of Technology) de Haifa. Nesse período, estudou no Bêt Midrash do Technion, dirigido pelo Rabino Eliahu Zini. Desde 1992, quando se fixou em São Paulo, Rubinho é professor da Área Judaica do Colégio Bialik, actuando também no Colégio Iavne, no projeto Kiruv e, mais recentemente, no projecto Chinuch Marcha da Vida, do Fundo Comunitário. É formado em Letras – Português e Hebraico. É casado e pai de 4 filhos.

Veja do mesmo autor:

Ensaios sobre a Torá – Bereshit (Génesis)

http://www.judaicaportugal.com/ENSAIOS_SOBRE_A_TOR__-_BERESHIT/p440356_1618314.aspx

Ensaios sobre a Torá – Shemot (Êxodo)

http://www.judaicaportugal.com/ENSAIOS_SOBRE_A_TOR__-_SHEMOT/p440356_2957995.aspx

Ensaios sobre a Torá – Vaicrá (Levítico)

http://www.judaicaportugal.com/ENSAIOS_SOBRE_A_TOR__-_VAICR_/p440356_2957864.aspx

ENSAIOS SOBRE A TORÁ – SHEMOT


Ensaios  Shemot

Ruben Rosemberg, Editora Sêfer, 322 páginas (16×23 cm, capa dura), ISBN 978-85-85583-89-7, 2009

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Coletânea de ensaios sobre as porções semanais da Torá – o volume 2 é sobre o Êxodo -, apresentando uma visão inovadora e bastante didática sobre os temas tratados. Capa dura.

“O Livro Shemot e seus ramificados ensinamentos, repletos de preceitos como uma romã, representam a base para o nosso comportamento como judeus corretos, em nossa aproximação ao Todo-Poderoso e à Sua Torá e em nossa fé em Sua grandeza.
Ruben Rosenberg é um artista, um desenhista em sua natureza; um entendido com seu pincel e as tintas, conseguindo criar imagens com temas sagrados que encantam os olhos. Ele também é entendido e ágil com sua pena, através da qual consegue unir letras sagradas, idéias e artigos de nossos Sábios ZL da Guemará, do Midrash, da Agadá, Rishonim eAcharonim, Gigantes da Torá e seus exegetas. Por meio dessa união, ele cria uma composição esplendorosa. Suas palavras são concisas e claras, capazes de despertar a alma para o amor à Torá e o temor aos Céus.
Bem-aventurado todo aquele que ler seu livro, cheio de sabedoria e conhecimento, escrito de forma clara e elucidativa. Aquele que examinar seu texto poderá, com a ajuda de Deus, subir pela escada da Torá e se unir ao Criador – louvado seja! – e servi-Lo em santidade, em estudo, em oração e no cumprimento de mitsvot, com amor, alegria e entusiasmo.”

Rabino David Benayon

***

Sobre o autor:

Ruben Rosenberg estudou no Colégio Barilan e foi ativista do Movimento Juvenil Bnei Akiva do Rio de Janeiro. Cursou a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFRJ, transferindo-se posteriormente para o Technion (Israel Institute of Technology) de Haifa. Nesse período, estudou no Bêt Midrash do Technion, dirigido pelo Rabino Eliahu Zini. Desde 1992, quando se fixou em São Paulo, Rubinho é professor da Área Judaica do Colégio Bialik, actuando também no Colégio Iavne, no projeto Kiruv e, mais recentemente, no projecto Chinuch Marcha da Vida, do Fundo Comunitário. É formado em Letras – Português e Hebraico. É casado e pai de 4 filhos.

Veja do mesmo autor:

Ensaios sobre a Torá – Bereshit (Génesis)

http://www.judaicaportugal.com/ENSAIOS_SOBRE_A_TOR__-_BERESHIT/p440356_1618314.aspx

Ensaios sobre a Torá – Shemot (Êxodo)

http://www.judaicaportugal.com/ENSAIOS_SOBRE_A_TOR__-_SHEMOT/p440356_2957995.aspx

Ensaios sobre a Torá – Vaicrá (Levítico)

http://www.judaicaportugal.com/ENSAIOS_SOBRE_A_TOR__-_VAICR_/p440356_2957864.aspx

ENSAIOS SOBRE A TORÁ – BERESHIT


Ensaios  Bereshit

Ruben Rosemberg, Editora Sêfer, 329 páginas (16×23 cm, capa dura), ISBN 85-85583-79-8, 2007

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Colectânea de ensaios sobre as porções semanais da Torá – o volume 1 é sobre o Gênesis -, apresentando uma visão inovadora e bastante didáctica sobre os temas tratados. Capa dura.

“O livro Bereshit é também chamado por nossos Sábios de “Livro dos Correctos”, pois conta a história de nossos patriarcas, que eram correctos em suas atitudes, procurando fazer o bem a todas as criaturas e agir com honestidade e rectidão. Contudo, as palavras da Torá incluem muito mais do que as próprias histórias, englobando lições de moral, segredos Divinos da Criação e da humanidade.

Este trabalho nos ajuda a desvendar parte destas lições e segredos, numa linguagem clara, trazendo ao público brasileiro sínteses de grandes livros que extraíram do texto da Torá esses grandes ensinamentos.

O autor destaca-se pelo seu bom senso, cultura, carisma e clareza na divulgação de valores éticos e judaicos, além da originalidade na forma de transmiti-los. Sem dúvida, será de grande utilidade a educadores, alunos e todos aqueles que procuram o verdadeiro significado do judaísmo.”

Rabino Raphael Shammah

***

Sobre o autor:

Ruben Rosenberg estudou no Colégio Barilan e foi ativista do Movimento Juvenil Bnei Akiva do Rio de Janeiro. Cursou a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFRJ, transferindo-se posteriormente para o Technion (Israel Institute of Technology) de Haifa. Nesse período, estudou no Bêt Midrash do Technion, dirigido pelo Rabino Eliahu Zini. Desde 1992, quando se fixou em São Paulo, Rubinho é professor da Área Judaica do Colégio Bialik, actuando também no Colégio Iavne, no projeto Kiruv e, mais recentemente, no projecto Chinuch Marcha da Vida, do Fundo Comunitário. É formado em Letras – Português e Hebraico. É casado e pai de 4 filhos.

Veja do mesmo autor:

Ensaios sobre a Torá – Shemot (Êxodo)

http://www.judaicaportugal.com/ENSAIOS_SOBRE_A_TOR__-_SHEMOT/p440356_2957995.aspx

Ensaios sobre a Torá – Vaicrá (Levítico)

http://www.judaicaportugal.com/ENSAIOS_SOBRE_A_TOR__-_VAICR_/p440356_2957864.aspx

TORÁ HOJE


Torá Hoje

Pinchas H. Peli, Editora Sêfer, 252 páginas (14×21 cm, brochura), ISBN 978-85-85583-93-4, 2009

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Torá Hoje – Um encontro renovado com a Escritura Sagrada

Um dos elementos centrais da liturgia judaica é a leitura semanal de uma das 54 porções (trechos) da Torá – os cinco primeiros livros da Bíblia, também conhecidos como a Lei de Moisés. Esta obra é a compilação de 54 criativas análises sobre cada uma delas, publicadas originalmente na coluna de Pinchás H. Peli no jornal Israelita Jerusalém Post durante a década de 1980.

Escritos em estilo claro e moderno, cada um desses ensaios aproxima o leitor do precioso mundo da Torá e da forma como o judaísmo encara e enfrenta os desafios da sociedade moderna. Esse tipo de comentários é leitura essencial para judeus em todo o mundo – tanto na hora em que suas famílias se reúnem ao redor da mesa do Shabat, como para rabinos e seus alunos, ou professores e catedráticos da Bíblia. Os hermeneutas cristãos também são devotos e interessados leitores do Rabino Peli.

Esta reedição de Torá Hoje permitirá à nova geração de estudiosos e amantes da Bíblia o acesso a este grande clássico da literatura judaica do século 20.

***

“Torá Hoje é um modo efetivo e memorável de se apresentar ao leitor secular contemporâneo as antigas e sagradas tradições da Bíblia, de forma edificante e inspiradora. Nessa obra, o Rabino Peli expressa sua alma judaica e mente pensadora por meio de sua preciosa habilidade poética.”

Rabino Dr. Norman Lamm (ex-presidente da Yeshiva University)

***

Sobre o autor:

O Rabino Pinchás Hacohen Peli (1930-1989) ocupou lugar de destaque na vida intelectual e religiosa de Israel. Foi amigo e discípulo do Rabino Joseph B. Soloveitchik e de Abraham Joshua Heschel, bem como chefe do Departamento de Literatura Hebraica e da cátedra de Valores Judaicos da Universidade Ben Gurion, em Beer Shéva.

O CUZARÍ


O Cuzarí

Rabino Iehudá Halevi, Editora Sêfer, 440 páginas (12×17 cm, capa dura), ISBN 978-85-7931-006-5, 2003 (2010 – 2ª Edição Revista e Ampliada)

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

O Cuzarí – Edição Ampliada

Um tributo de amor ao Deus de Abrahão e a Tsión, a Terra de Israel, O Cuzarí, obra-prima da literatura clássica judaica, é fruto do coração sensível e da mente privilegiada do Rabino Iehudá Halevi, erudito da Torá que viveu na conturbada Espanha do século XI. Suas palavras, como se escritas a ferro e fogo, desafiaram o tempo e atravessaram incólumes séculos de perseguições, opressão e violência.

O Cuzarí é um livro que reúne intelecto e emoção, moral e história. Mas, acima de tudo, é um livro sobre a essência da Emuna, a Fé em seu sentido mais amplo. Ele nos ensina que não basta entender ou sentir o judaísmo. Fundamental é vivê-lo gloriosamente, em toda sua plenitude.

Nova edição, ampliada com quadros que sintetizam alguns dos tópicos mais importantes da obra.

***

“O Cuzarí é um livro santo e puro. Os princípios da fé de Israel e da Torá dependem de seu estudo.”

Gaon de Vilna

***

Prólogo: O Sábio-Amigo

Já se passaram novecentos anos desde que esta maravilhosa obra, o Sêfer Hacuzarí, foi escrita, e ela continua a ser um livro básico para o estudo dos fundamentos da fé judaica e da Torá de Israel.

O Chidá (Rabino Chaim David Azulay), em seu livro “O Nome dos Grandes (Sábios) de Israel”, descreve o Rabino Iehudá Halevi como “um poeta magnânimo, que proclamava a sua poesia com total fervor frente a Deus… com expressão cândida e prosa doce como o mel, fala cristalina e aconchegante”. Muitas de suas poesias foram copiadas para o livro judaico de orações. Sua maravilhosa poesia Tsión Halo Tishalí, um cântico de saudades profundas pela Terra de Israel, encerra as lamentações de Tishá be Av. Não conheço em toda a nossa literatura uma poesia tão marcante de saudades por nossa terra.

No livro “O Cuzarí”, ele protesta contra o desleixo dos judeus da Diáspora em tentar ascender à Terra de Israel, povoá-la e reerguê-la dos escombros, tanto no passado, durante o período do Segundo Templo, quanto em sua época (e mesmo agora, na nossa). A lenda popular descreve as circunstâncias de sua trágica morte logo ao chegar na sua amada pátria ancestral. Conta a tradição, que o rabino Iehudá Halevi pôs-se de pé no convés do navio que o trazia de volta a Israel, enquanto este se aproximava do porto de Jaffa, esperando com grande ansiedade o momento de descer à terra. Logo ao chegar ao solo santo, pulou do navio e deitou-se no chão, beijando e abraçando sua areia e e suas pedras. Assim fizeram também os grandes sábios de Israel que o precederam, como o Rabi Abahu e o Rabi Chia bar Gamada (Talmud, Ketubót 112). Um árabe que passava por ali, montado em seu cavalo e sem compreender a cena, pensou que o rabino estava louco. Com muita raiva, subiu sobre ele com o seu cavalo, pisoteando-o até à morte.

O Gaon de Vilna despertou e estimulou seus discípulos a estudarem “O Cuzarí”, “um livro santo e puro, cujos princípios de fé de Israel e da Torá dependem de seu estudo” (Tosséfet Maassê Rav, parágrafo 15).

Um detalhe curioso e peculiar do livro é a forma como o rabino é designado. Ele não chamado de “rabino” e nem mesmo de “sábio” ou “Gaon”, e sim por um termo cujo significado é especial em hebraico e árabe e que não pode ser plenamente traduzido para outros idiomas. Quem lês esta obra em idioma estrangeiro perde muito de seu significado, devido às nuances da linguagem do autor.

Neste livro, o judeu é chamado de Chaver, “amigo”, cujo significado em hebraico é duplo. Na linguagem falada em nossos dias, quer dizer “colega”, “companheiro”. O mesmo se dá no Pirkê Avot (1:6): “Adquire um amigo.” Não obstante, esta palavra tem um significado adicional no hebraico original: na época dos sábios da Mishná, os grandes eruditos em Torá e minuciosos no cumprimento das mitsvót eram chamados de Chaverím (Mishná, Demai 2,3). O Chaver (“amigo”) é um mestre, conselheiro e orientador (ver o Rashi em Gênesis 45:8, com referencia a José, quando o Faraó o nomeou chefe de governo). Chéver é um dos nomes de Moisés, pois ele conectava o povo de Israel com seu Pai Celestial (Talmud, Meguilá 13).

Esta duplicidade idiomática foi bem empregue no livro “O Cuzarí”. As respostas ao rei não foram dadas por um erudito ou académico, enclausurado em sua torre do saber, ou por um génio totalmente distanciado da compreensão das pessoas simples. O sábio judeu, mesmo extremamente versado nos assuntos da Torá, soube falar ao seu interlocutor de modo amistoso e caridoso. As respostas foram dadas “ao nível dos olhos”, podendo ser compreendidas por qualquer um de nós. Deste modo, é mais fácil “amigar-se” com o texto, entendê-lo e aceitá-lo. Não se trata de uma palestra ou aula, mas, sim, de um colóquio ameno e objectivo entre duas pessoas muito próximas espiritualmente uma da outra.

Na tradução do texto ao português, não há como manter o significado mais amplo da palavra Chaver, daí a opção pelo termo “Sábio”. Não obstante, a lembrança do Rabino Iehudá Halevi nos lábio de todos aqueles que estudarem e abraçarem seus ensinamentos, será sempre a do “amigo-sábio”.

Rabino Moshe I. Bergman – Soc. Beneficiente Cultural Bnei Akiva de São Paulo

REFLEXÕES SOBRE A TORÁ



Rabino Moshe Grylak, Editora Sêfer, 312 páginas (14×21 cm, brochura), ISBN 85-85583-13-4, 1998 – 3ª edição

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Reflexões sobre a Torá – Parashá Ufishrá

Reflexões sobre a Torá é um livro dedicado àqueles que não estão familiarizados com os textos sagrados ou que buscam neles fontes de inspiração para os dias que vivemos. As explicações e comentários de Moshe Grylak sobre as porções semanais da Torá, originalmente publicadas na coluna Parashá Ufishrá do diário israelita Maariv, fazem chegar ao coração toda a riqueza contida na maior bem do judaísmo. Através de uma linguagem clara e acessível, profunda e repleta de sabedoria, o autor leva o leitor a conhecer de perto a única luz capaz de elevar o espírito humano: a luz da Torá.

***

A cada manhã de sábado, judeus observantes do mundo inteiro caminham até suas sinagogas e lêem exactamente a mesma Parashá, a porção da Torá referente àquela semana. Sem jamais abrir mão da profundidade de conteúdo, Reflexões sobre a Torá traz diversas destas passagens explicadas e comentadas em linguagem jornalística, simples e directa. Graças ao dom único de Moshe Grylak, o prazer e o enriquecimento espiritual que derivam desta leitura, normalmente restritos ao universo religioso judaico, tornam-se acessíveis a milhares de pessoas.

Grande parte dos textos que compõem este livro foi originalmente publicada nas edições de fim-de-semana do diário israelita Maariv. Ao longo de 16 anos consecutivos, Parashá Ufishrá, coluna escrita por Grylak, conquistou e tornou cativos leitores de todas as vertentes. Uma das explicações para o sucesso que obteve junto ao grande público diz respeito à sua habilidade inata em trazer para o presente, de forma acessível e coloquial, as lições mais profundas dos textos sagrados.

É com imenso orgulho que a Editora Sêfer lança no Brasil uma obra como esta, capaz de iluminar e alimentar o espírito com os ensinamentos mais caros do judaísmo, expostos de maneira especialmente atraente ao público religioso e laico, a judeus e não judeus.

***

Sobre o autor:

Nascido na Bélgica em 1936, Moshe Grylak imigrou aos 9 anos para Israel, onde estudou nos seminários rabínicos Col Torá, em Jerusalém, e Ponowicz, em Bene Brac.

Educador de renome, foi enviado pela Agência Judaica a São Paulo em 1966, onde trabalhou como professor no Colégio Iavne Beit Chinuch até 1970. De volta a Israel, ao lado de sua principal actividade, actuou também como redactor-chefe de diversas publicações especializadas, e responde actualmente pela conceituada revista Mishpachá, palavra hebraica que significa família.

Moshe Grylak manteve por 16 anos consecutivos uma das colunas semanais mais aclamadas do diário israelita Maariv, chamada Parashá Ufishrá, comentando a porção da Torá lida a cada Sábado, o Shabat judaico.

Além de leccionar em seminários rabínicos, Grylak percorre o mundo como conferencista, e seu nome é conhecido e reverenciado entre intelectuais judeus e não judeus. É autor de 12 livros e sua obra, em grande parte já traduzida para o inglês, francês, yidish e espanhol, lhe valeu prémios importantes no circuito literário internacional.

Moshe Grylak vive em Israel, é casado, tem seis filhos e 14 netos.

COLECÇÃO JUDAICA


Edição de Paulo Geiger, Editora Sêfer, 4.500 páginas (18×24 cm), ISBN 85-85583-61-4, 2003

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Colecção Judaica é composta por obras de diferentes autores e assuntos, e concebida de modo a cobrir toda a temática judaica em seus aspectos mais importantes, proporcionando a qualquer usuário uma visão abrangente e actualizada do povo, da história, da cultura e do pensamento judaicos.
A edição é de Paulo Geiger, que também chefiou a equipe de produção editorial e gráfica da Editora A. Koogan (RJ).
São 10 volumes, na maioria ilustrados, perfazendo cerca de 4.500 páginas, formato 18×24 cm, agora com capa mole plastificada. O esmero na apresentação gráfica é uma moldura adequada ao cuidado que se deu ao texto, na escolha e na edição. São sete títulos, reunindo o que há de mais representativo em cada tema.
No conjunto, a Colecção funciona como uma obra de referência ampla e actualizada. As bibliografias e, principalmente os muitos índices que permitem localizar facilmente qualquer assunto ou nome, ampliam e dão unidade e circularidade à obra como um todo.

POVO JUDEU, PENSAMENTO JUDAICO (2 volumes)
de Robert M. Seltzer
Apresenta a história analítica do povo judeu, dos primórdios aos nossos dias e, simultaneamente, da criação judaica no campo das ideias, da religião e da filosofia.

HISTÓRIA DE ISRAEL (2 volumes)
de Howard M. Sachar
Apresenta a vigorosa e fascinante história do sionismo e do Estado de Israel, do processo de gestação, nascimento e vida do Estado de Israel até a independência, as conquistas e as guerras do Estado.

CONHECIMENTO JUDAICO (2 volumes)
de Nathan Ausubel
Enciclopédia de temas judaicos amplamente ilustrada, onde toda a estrutura conceitual e formadora do judaísmo é apresentada na forma de verbetes, em ordem alfabética.

O TALMUD ESSENCIAL
de Adin Steinsaltz
É uma abertura, um primeiro e necessário passo para se abordar e entender, em sua essência, a estrutura e o método do Talmud, numa abordagem e num tratamento que visa a torná-las acessíveis e atraentes a todos.

UM TESOURO DO FOLCLORE JUDAICO
de Nathan Ausubel
Apresenta contos, lendas, anedotas, midrashim, provérbios, canções  e todo o acervo folclórico judaico, dividido em secções por assunto e comentado pelo autor.

CABALA
de Gershom Scholem
Um dos maiores especialistas académicos em misticismo judaico, analisa exaustivamente a Cabala em seus múltiplos e diversos aspectos: histórico, conceitual e filosófico, e prático.

CHASSIDISMO: O MOVIMENTO E SEUS MESTRES
de Harry Rabinowicz
Apresenta a história, do surgimento aos nossos dias desse movimento tão singular em suas concepções e em sua prática do judaísmo.

OS PORQUÊS DA TORÁ



Alfred J. Kolatch, Editora Sêfer, 416 páginas (14×21 cm, brochura), ISBN 85-85583-57-6, 2004

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Embora a Torá, composta pelos cinco primeiros livros da Bíblia, seja o objecto mais amado e celebrado no judaísmo, sua origem Divina ainda é questionada. Muitos se perguntam qual é a fonte desse documento sem igual que existe há 3500 anos? Quais são as origens das incontáveis leis, costumes e tradições que determinam seu texto e sua leitura? Por que judeus ortodoxos e não ortodoxos seguem certas práticas de maneiras diferentes?

Nesta obra, o rabino Alfred J. Kolatch segue a mesma fórmula bem sucedida de perguntas e respostas que criou para o Livro Judaico dos Porquês e sua sequência, o Segundo Livro Judaico dos Porquês, ambos publicados no Brasil pela Editora Sêfer. O rabino Alfred J. Kolatch não apenas dá respostas, mas também explica os diversos rituais e procedimentos referentes à Torá do modo como são observados hoje em dia.

Como se escreve uma Torá no pergaminho? O que são Notas Massoréticas? Por que certos textos são escritos de determinada maneira e lidos de outra forma? Qual o critério para se deixar certos espaços no texto? Qual a ligação entre os textos lidos dos profetas a cada semana com a porção semanal da Torá? Por que a Torá foi outorgada no Monte Sinai e não em Israel?

Estas e muitas outras dúvidas são respondidas de forma concisa, objectiva e acessível a todos os leitores, de leigos a eruditos e pesquisadores. Afinal, “Esta é a Lei que Moisés pôs diante dos filhos de Israel, de acordo com o Eterno, por intermédio de Moisés”.

Jairo Fridlin

***

Sobre o Autor:

O Rabino Alfred J. Kolatch é formado pelo Seminário para Professores e pela Faculdade de Ciências Humanas da Yeshiva University, foi ordenado rabino pelo Jewish Theological Seminary of America, recebendo em seguida o Título Doutor Honoris Causa em Teologia. De 1941 a 1948 exerceu a função de rabino nas congregações de Columbia, Carolina do Sul, Kew Gardens e Nova York, e como rabino do exército dos Estados Unidos. Em 1948, fundou a Jonathan David Publishers, onde ocupa o cargo de director-presidente.

Entre suas inúmeras obras publicadas destacam-se: The New Name Dictionary, The Jewish Home Advisor, The Jewish Child’s Book of Why, Our Religion: The Torah, Jewish Information Quis Book, Who’s Who in the Talmud, The Family Seder e The Complete Dictionary of English and Hebrew First Names.

Em Português foram lançados: Livro Judaico dos Porquês, Segundo Livro Judaico dos Porquês, Os Porquês da Torá e Estórias da Bíblia para Crianças, pela Editora e Livraria Sêfer.

SALMOS



Vitor e Jairo Fridlin, David Gorodovits, Editora Sêfer, Edição em 2 formatos:

Salmos – Hebraico e Português (de bolso) – 464 páginas (10,5×14 cm, capa dura), ISBN 85-85583-25-8, 2000 (4ª edição)

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

Salmos – Com Tradução e Transliteração – 464 páginas (14×21 cm, capa dura), ISBN 85-85583-20-7, 199 (4ª edição)

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Do Prefácio:

«… Partindo de uma tradução literal, consultámos obras de nossos grandes comentaristas (relacionados no livro) para não nos desviar, em momento algum, de seu significado pleno, e tentámos reescrever a obra de David em português.

Se a inspiração que moveu o Rei David a nos legar este monumento conseguir atingir nossos corações e as mentes destes meninos judeus que pretendem voltar para casa, e ajudá-los a recuperar sua herança espiritual, já nos sentiremos recompensados.

Possa o Eterno nos abençoar e nos conduzir pela vereda da Vida a uma existência plena de estudo, oração e Maassim Tovim, boas atitudes.

Que uma Teshuvá completa seja alcançada por cada um de nós. Para que a ética, a prática da nossa religião e seus valores humanitários, a dedicação ao trabalho inspirador e criativo que sempre caracterizou o povo judeu e sua contribuição para o bem-estar dos seres humanos nos permitam constituir uma das parcelas positivas capazes de mudar o destino da Humanidade, dividida e cheia de ódios, desentendimentos, preconceito e incompreensão, para conquistar seus opostos: a compreensão e a paz.

Para que, afinal, penetre em nossos corações o significado do Salmo 19 como exemplo dos demais:

“Os céus proclamam a glória de Deus e o firmamento atesta a obra de Suas mãos. Um dia ao seguinte transmite esta mensagem, uma noite à outra a comunica.

Não é linguagem humana, não há palavras, e som algum é percebido, mas por toda a terra ressoa o que dizem, e até aos confins chega Sua mensagem;

Para o sol assentou Deus no céu uma tenda; ele é como o noivo que sai da câmara nupcial, e como um herói ansioso para percorrer seu trajecto. Parte de um extremo dos céus e atinge o outro, e nada escapa de seu calor.

A Lei do Eterno é perfeita e reconforta a alma; verdadeiro é o testemunho do Eterno, que torna sábio o mais simples.

De absoluta rectidão são os preceitos do Eterno e trazem alegria ao coração; límpido é o mandamento do Eterno, que ilumina o olhar.

Puro é o temor do Eterno e perdura para sempre; verdadeiros são os julgamentos do Eterno, todos igualmente justos. São mais desejáveis que o outro, que o ouro mais refinado; mais doces que o mel que se forma nos favos.

Teu servo se esmera em cumpri-los e sei que grande é a recompensa por sua observação. Mas quem consegue discernir seus próprios erros?

Purifica-me das faltas involuntárias que não percebo.

Preserva-me também dos pecados conscientes, para que não dominem; serei então plenamente íntegro e estarei inocente de grandes transgressões.

Possam as palavras de minha boca e a prece de meu coração serem aceites por Ti, ó Eterno, minha Rocha e meu Redentor.”

Elul 5759, Agosto 1999.

David Gorodovits, Vitor Fridlin e Jairo Fridlin »

HISTÓRIA DOS JUDEUS PORTUGUESES


Carsten L. Wilke, Edições 70 (Portugal), Colecção Lugar da História, 247 páginas, ISBN 9789724415789, 2009, já nas Livrarias!

Portugal tem um olhar único sobre a história judaica. No imaginário nacional, o judaísmo pertence não apenas à sua tradição cultural, mas também à sua genealogia. Na época medieval, os monarcas portugueses garantiram aos judeus mais protecção e segurança do que qualquer outro país europeu.

A entrada de Portugal na era moderna fez-se, porém, no decurso de um processo de «cristianização» violenta de toda a sua vasta comunidade judaica, e os descendentes desta, quando não puderam, ou quiseram, sobreviver como judeus no exílio, misturaram-se em grande número ao resto da população. Os que se exilaram e vieram a fundar, ou desenvolver, dezenas das mais dinâmicas comunidades judaicas do mundo moderno, nem por isso deixaram de reivindicar além-fronteiras a identidade contraditória de «judeus do desterro de Portugal».

Há mais de um século que esta história complexa e absolutamente singular apaixona estudiosos dos mais variados ramos do saber, dentro e fora de Portugal. E se hoje os aspectos parcelares de dois milénios de civilização judeo-portuguesa estão amplamente estudados, são também dos mais mal resumidos, o que explica que sejam tão mal conhecidos fora dos círculos especializados. A presente síntese vem colmatar essa lacuna.

***

Sobre o autor:

Carsten L. Wilke é doutor em Estudos Judaicos pela Universidade de Colónia e estudou na Escola Prática de Altos Estudos de Paris. Foi professor nas universidades de Heidelberg, Düsseldorf e Bruxelas, e é actualmente investigador no Instituto Steinheim de História Judaica Alemã, em Duisburg. Autor de numerosos livros e artigos, Carsten Wilke tem-se dedicado ao estudo das transformações vividas pelo judaísmo europeu, desde o criptojudaísmo do Renascimento ibérico até o modernismo rabínico do século XIX.

%d bloggers like this: