ZEMIRÓN – Melodias para a Mesa do Shabat


IMG 19168529

Edição Jairo Fridlin, Editora Sêfer, 96 páginas (10,5×14 cm, papel couché ), ISBN 85-85583-74-6, 2002 (2006 edição revista)

Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Zemirón – com Tradução e Transliteração

Livro de bolso em papel couché, com 96 páginas, formato 10,5 x 14 cm, colorido, contendo as rezas e canções da mesa do Shabat, em hebraico, transliteração e tradução resumida.

***

Significado do Shabat

O Shabat ocupa um lugar central no judaísmo. Sua imagem e seu múltiplo conteúdo encontram sua expressão numa vasta literatura. A ideia do Shabat e sua importância são ressaltadas na Bíblia inteira, a começar pelo relato da Criação e pelo lugar que ocupa nos Dez Mandamentos, dados durante a Revelação no Monte Sinai. É o Shabat que tem sido o factor principal da característica judaica do Povo de Israel, durante os longos séculos de sua Diáspora. O judeu, tão frequentemente oprimido e perseguido por povos malvados e cruéis, voltava a ser um homem livre ao encontrar  sua paz de espírito e descanso espiritual uma vez por semana. A libertação semanal de opressão aliviava a aflição da Galut (Diáspora, dispersão), até reduzi-lo a seis dias semanais, pois que o Shabat proporcionava um intervalo.

Deveras, parece que nunca houve uma geração que precisou tanto do descanso espiritual como a nossa. As muitas atividades de hoje em dia exigem do homem um esforço mental muito maior do que no passado. Os meios de comunicação a ele apelam incessantemente, de todos os lados, e penetram na sua vida particular e pública. O ritmo de vida estonteante da nossa época sujeita o homem a uma grande pressão. Ele não tem tempo para encontrar-se consigo e com seus pensamentos, para refletir sobre seus atos e pensar sobre suas ideias e melhorar seus passos. O ser humano perde sua personalidade. Diminui cada vez mais o número de pessoas com condições de expressar opiniões próprias sem estarem influenciadas e orientadas pelos meios de comunicação. O desligamento do grande mundo e o recolhimento para o ambiente íntimo criado pelo Shabat, por um dia, podem assegurar a liberdade espiritual do indivíduo.

Extraída da Resenha das Festas Judaicas,  do Rabino Abraham Blau, tradução de Rafael Fisch, São Paulo, 1981, in “Sidur Avodat Halev”.

BATE-PAPO – Reflexões sobre questões essenciais do judaísmo.


Capinha bate papo

Nechemia Coopersmith, Editora Sêfer, Aish Hatorah e Or Israel College, 200 páginas (10×14 cm, brochura), ISBN 85-85583-35-5, 2001

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Um guia para discussões que nos façam reflectir sobre questões essenciais do judaísmo

***

Bate-Papo é escrito de forma magistral – clara, concisa e ponderada. Nechemia Coopersmith deu ao universo judaico um instrumento eficiente e provocativo, para engajar judeus espiritualmente inquisitivos num discurso absorvente e produtivo. Todo indivíduo preocupado com a continuidade judaica, deve acolher entusiasticamente “Bate-Papo” em seu repertório intelectual.

Rabino Michel Twerski, Milwaukee

***

Acredito que “Bate-Papo” é um instrumento prazeiroso, criativo e positivo de aprendizagem e ensino. Ao suscitar questões num contexto filosófico judaico, oferece uma contribuição relevante à educação informal no campus universitário. “Bate-Papo” provoca um debate ponderado entre amigos e familiares judeus, não só ao considerar cuidadosamente as questões de vida significativas, como também ao fornecer fontes judaicas que fundamentam a discussão.

Richard Joel, Presidente e Director Internacional de Hilel, Fundação para a Vida Judaica no Campus Universitário

CONTOS DE TSADIKIM – BAMIDBAR


Contos Tsadikim  Bamidbar

G. MaTov, Editora Sêfer, 247 páginas (16×23 cm, brochura), ISBN 978-85-7931-022-5,  2011

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Contos de Tsadikim – Bamidbar (4)

O Talmud ensina que um aluno pode aprender mais das ações de seu mestre do que de suas palavras, pois existem preciosas lições a serem aprendidas dos atos praticados por pessoas boas, os quais fazem as pessoas ao seu redor absorverem os ensinamentos da Torá desses “anjos que caminham entre os mortais”, como bem ilustra o sábio Chazon Ish.

Este livro é, na verdade, uma arca do tesouro repleta das mais belas histórias do Talmud, do Midrash e de grandes homens através dos séculos. Elas estão repletas da sabedoria da Torá, esse elixir de inspiração que preenche e dá sentido à vida do povo judeu.

Esta coletânea está dividida de acordo com as leituras semanais da Torá, para que cada Shabat seja enriquecido com histórias fascinantes relacionadas à parashá correspondente. Mas não pense o leitor que poderá ler somente as histórias daquela semana e abandonar o livro até a próxima… Esse é um livro que – felizmente – será folheado diversas vezes!

Com linguagem e apresentação adaptadas aos dias de hoje, Contos de Tsadikim já é considerado um best-seller em diversas partes do mundo. Do começo ao fim, enriquece o conhecimento e faz brilhar mais forte a chama da Torá em nossos corações. Que possamos aprender de nossos Tsadikim lições que carregaremos para o resto de nossas vidas, iluminando e indicando o caminho certo a seguir.

***

Prefácio à Edição Brasileira

O Livro de Bamidbar conta sobre mais de 38 anos de peregrinação do povo de Israel no deserto do Sinai, após a saída do Egito – do segundo ao quadragésimo ano. Ele é o livro “livro da viagem”, de quando estamos “fora de casa”. Por isso ele relata muitas complicações, obstáculos e desafios que atingem a pessoa que está no caminho, longe de sua fortaleza.

Todos esses pontos são contados e debatidos nas parashiot de Bamidbar – os perigos do deserto, a ausência de boas condições, a necessidade de perseverança e esperança, conflitos internos entre segmentos do povo e a presença de inimigos que tentam nos atingir em momentos de fragilidade. E o livro termina na fronteira da Terra de Israel, onde Moshe iria iniciar seu derradeiro discurso de despedida.

A melhor garantia para que os perigos do caminho não nos atinjam é preparar novos mantimentos antes de sairmos de casa, antes de nos empenharmos em nossa viagem.

A garantia para que nossos jovens sejam fortes no “mundo grande” no dia-a-dia da vida é terem uma bagagem sólida dentro do lar judaico. Essa bagagem é construída principalmente pelo apoio e atenção que os pais dedicam aos filhos e pelos valores que semeiam nos seus corações.

Ler uma história em família é a melhor dinâmica para aprofundar a relação entre pais e filhos e permeá-la com conteúdo e valores que servirão para o resto da vida.

Aproveite esta oportunidade.

Boa leitura, bom debate e boa viagem!

Rabino Raphael Shammah

CONTOS DE TSADIKIM – VAICRÁ


Contos  Vaicrá

G. MaTov, Editora Sêfer, 272 páginas (16×23 cm, brochura), ISBN 978-85-7931-004-1,  2010

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Contos de Tsadikim – Vaicrá (3º volume da coleção)

O Talmud ensina que um aluno pode aprender mais das ações de seu mestre do que de suas palavras, pois existem preciosas lições a serem aprendidas dos atos praticados por pessoas boas, os quais fazem as pessoas ao seu redor absorverem os ensinamentos da Torá desses “anjos que caminham entre os mortais”, como bem ilustra o sábio Chazon Ish.

Este livro é, na verdade, uma arca do tesouro repleta das mais belas histórias do Talmud, do Midrash e de grandes homens através dos séculos. Elas estão repletas da sabedoria da Torá, esse elixir de inspiração que preenche e dá sentido à vida do povo judeu.

Esta coletânea está dividida de acordo com as leituras semanais da Torá, para que cada Shabat seja enriquecido com histórias fascinantes relacionadas à parashá correspondente. 
Mas não pense o leitor que poderá ler somente as histórias daquela semana e abandonar o livro até a próxima… Esse é um livro que – felizmente – será folheado diversas vezes!

Com linguagem e apresentação adaptadas aos dias de hoje, Contos de Tsadikim já é considerado um best-seller em diversas partes do mundo. Do começo ao fim, enriquece o conhecimento e faz brilhar mais forte a chama da Torá em nossos corações. 
Que possamos aprender de nossos Tsadikim lições que carregaremos para o resto de nossas vidas, iluminando e indicando o caminho certo a seguir.

***

Prefácio à Edição Brasileira

A edição do terceiro volume da série Contos de Tsadikim sobre o Livro de Vaicrá têm um gostinho todo especial. Nossos sábios nos instruem que as crianças devem iniciar o seu estudo justamente pelo terceiro livro da Torá, aquele que trata das oferendas que eram levadas ao altar do Beit Hamicdash.

O Rav Assi disse: “Por que iniciam (o estudo) com as criancinhas com o Livro de Torat Cohanim – Vaicrá e não com o livro de Bereshit? Porque as crianças são puras e os corbanot (oferendas) são puros. Venham os puros e estudem sobre os puros.” (Vaicrá Rabá, cap.7 letra 3)

Apesar de o Livro de Bereshit ser o início da história e, didaticamente, teria certa lógica iniciar o estudo pelo começo, nossos sábios dão preferência à “essência”. Assim, quando estudam o assunto das oferendas trazidas pelo homem ao Todo-Poderoso com o coração puro, a pureza das crianças que, em sua ingenuidade, não experimentaram a malícia e o pecado, têm uma força especial sobre o próprio carácter das crianças e, de forma mística, sobre a humanidade como um todo.

Muitas vezes, a forma e a didática ditam as diretrizes sobrepondo-se até sobre os conteúdos. Mas, desta vez, a essência foi prioritária em relação à “forma”,  a alma ao corpo, o coração à razão e “o quê” ao “como”.

Vamos então aproveitar, pais e filhos, para curtirmos novamente as histórias sobre as passagens da Parashat Hashavúa, para embelezarmos a santidade de nossas refeições do Shabat. Vamos sentir a pureza de nossas almas e a beleza da nossa Torá.

Rabino Raphael Shammah

CONTOS DE TSADIKIM – SHEMOT


Tsadikim  shemot

G. MaTov, Editora Sêfer, 272 páginas (16×23 cm, brochura), ISBN 978-85-85583-90-3, 2008

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Contos de Tsadikim – Shemot (2 volume da coleção)

O Talmud ensina que um aluno pode aprender mais das ações do seu mestre do que de suas palavras, pois existem preciosas lições a serem aprendidas dos atos praticados por pessoas boas, os quais fazem as pessoas ao seu redor absorverem os ensinamentos da Torá desses “anjos que caminham entre os mortais”, como bem ilustra o sábio Chazon Ish.

Este livro é, na verdade, uma arca do tesouro repleta das mais belas histórias do Talmud, do Midrash e de grandes homens através dos séculos. Elas estão repletas da sabedoria da Torá, esse elixir de inspiração que preenche e dá sentido à vida do povo judeu.

Esta colectânea está dividida de acordo com as leituras semanais da Torá, para que cada Shabat seja enriquecido com histórias fascinantes relacionadas à parashá correspondente. Mas não pense o leitor que poderá ler somente as histórias daquela semana e abandonar o livro até à próxima… Esse é um livro que – felizmente – será folheado diversas vezes!

Com linguagem e apresentação adaptadas aos dias de hoje, Contos de Tsadikim já é considerado um best-seller em diversas partes do mundo. Do começo ao fim, enriquece o conhecimento e faz brilhar mais forte a chama da Torá em nossos corações. Que possamos aprender de nossos Tsadikim lições que carregaremos para o resto de nossas vidas, iluminando e indicando o caminho certo a seguir.

***

Prefácio à Edição Brasileira

Após o grande sucesso da publicação de Contos de Tsadikim – Bereshit, tenho a grata satisfação de apresentar o segundo volume dessa coleção: Contos de Tsadikim – Shemot.

Muitos pais me relataram entusiasmados sobre o grande benefício percebido no ambiente da mesa do Shabat e no relacionamento com seus filhos por meio das histórias desta coleção.

No Livro de Shemot (Êxodo), recebemos a ordem Divina sobre a construção do Mishcan (Tabernáculo), a tenda na qual a Shechiná (Presença Divina) se revelava. No lugar mais sagrado do Mishcan, a sala do Codesh Hacodashim (“Santo dos Santos”), ficava a Arca Sagrada onde estavam guardadas as Tábuas da Lei. Sobre a Arca havia dois querubins, uma alusão aos anjos que pairavam sobre a Arca.

Qual o significado desses anjos e como entender seu valor, uma vez que o judaísmo sempre se afastou de qualquer símbolo material de forças espirituais?

A resposta é que esses anjos tinham faces de crianças (em aramaico keruvia, que quer dizer “como crianças”). Na verdade, era isso que estava sobre a Arca que guardava as Tábuas: a mensagem de que deveríamos investir na educação das novas gerações a fim de assegurar a preservação da Torá oelo povo judeu.

Constam no Midrash Shir Hashirim as palavras do Rabi Meir:

“Na hora em que o Povo de Israel estava no Monte Sinai para receber a Torá, ouviu-se o seguinte diálogo entre Deus e o povo judeu:

– Eu decidi entregar a Torá a vocês – disse Deus. – Contudo tragam-me bons fiadores que Me garantam que vocês a respeitarão, e então Eu a darei a vocês.

– Senhor do Universo – respondeu o povo, – nossos antepassados serão nossos fiadores! Nossos profetas serão nossos fiadores!

– Mas estes também necessitam de fiadores por eles mesmos – disse Deus. – Tragam-Me bons fiadores, e então Eu darei a Torá a vocês.

– Nossos filhos serão nossos fiadores! – retrucou o povo judeu.

Ao ouvir isso, Deus afirmou:

– Estes certamente serão bons fiadores. Por causa deles Eu darei a Torá a vocês!”

Ao contar histórias como as deste livro aos nossos filhos  estamos garantindo que a Torá se perpetue em nosso povo. As nossas crianças são os verdadeiros “anjos da guarda” das Tábuas da Lei. Cada pai e cada mãe que transmite mais um ensinamento do Sinai está se aliando e reforçando a corrente milenar de nossa Torá e dando mais um passo rumo ao nosso ideal.

Por fim, gostaria de agradecer e parabenizar os patrocinadores desta ediçãoo por darem esta grande oportunidade a toda a comunidade brasileira.

Rabino Raphael Shammah

ENSAIOS SOBRE A TORÁ – VAICRÁ


Ensaios  Vaicrá

Ruben Rosemberg, Editora Sêfer, 291 páginas (16×23 cm, capa dura), ISBN 978-85-7931-013-3, 2010

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Colectânea de ensaios sobre as porções semanais da Torá – o volume 3 é sobre o Levítico-, apresentando uma visão inovadora e bastante didática sobre os temas tratados. Capa dura.

“Diferentemente do senso comum, educar não é “treinar” ? levar o aluno a fazer coisas por medo ou costume. Educar significa ajudá-lo a começar seu próprio caminho, até o ponto em que o aluno irá caminhar só, autonomamente. Eu tive o meu início e alguém que me ajudou a caminhar por meu próprio caminho como um verdadeiro mechanêch (educador/inaugurador). 
Nas aulas do Moré Rubinho pude ter contato com o grande profissional e educador que é. Graças a suas aulas, pude chegar onde estou hoje: ensinando Torá em Érets Israel. Mas também, fora das quatro paredes das salas de aula, pude conhecer o grande mechanêch que é quando não está lecionando. Afinal, educar não é só dar aulas, mas também tratar os alunos como filhos e acompanhá-los por toda a vida. E agora, tivemos o mérito de conhecer mais um lado do grande mechanêch: o de escritor. 
Depois do grande sucesso dos dois primeiros volumes de sua série, temos agora o prazer de receber mais um: Ensaios Sobre a Torá – Vaicrá, que me levam de volta a um tempo muito especial da minha vida, onde tudo começou: dentro das quatro paredes do Colégio Bialik.”

Rabino Daniel Segal

***

Sobre o autor:

Ruben Rosenberg estudou no Colégio Barilan e foi ativista do Movimento Juvenil Bnei Akiva do Rio de Janeiro. Cursou a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFRJ, transferindo-se posteriormente para o Technion (Israel Institute of Technology) de Haifa. Nesse período, estudou no Bêt Midrash do Technion, dirigido pelo Rabino Eliahu Zini. Desde 1992, quando se fixou em São Paulo, Rubinho é professor da Área Judaica do Colégio Bialik, actuando também no Colégio Iavne, no projeto Kiruv e, mais recentemente, no projecto Chinuch Marcha da Vida, do Fundo Comunitário. É formado em Letras – Português e Hebraico. É casado e pai de 4 filhos.

Veja do mesmo autor:

Ensaios sobre a Torá – Bereshit (Génesis)

http://www.judaicaportugal.com/ENSAIOS_SOBRE_A_TOR__-_BERESHIT/p440356_1618314.aspx

Ensaios sobre a Torá – Shemot (Êxodo)

http://www.judaicaportugal.com/ENSAIOS_SOBRE_A_TOR__-_SHEMOT/p440356_2957995.aspx

Ensaios sobre a Torá – Vaicrá (Levítico)

http://www.judaicaportugal.com/ENSAIOS_SOBRE_A_TOR__-_VAICR_/p440356_2957864.aspx

ENSAIOS SOBRE A TORÁ – SHEMOT


Ensaios  Shemot

Ruben Rosemberg, Editora Sêfer, 322 páginas (16×23 cm, capa dura), ISBN 978-85-85583-89-7, 2009

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Coletânea de ensaios sobre as porções semanais da Torá – o volume 2 é sobre o Êxodo -, apresentando uma visão inovadora e bastante didática sobre os temas tratados. Capa dura.

“O Livro Shemot e seus ramificados ensinamentos, repletos de preceitos como uma romã, representam a base para o nosso comportamento como judeus corretos, em nossa aproximação ao Todo-Poderoso e à Sua Torá e em nossa fé em Sua grandeza.
Ruben Rosenberg é um artista, um desenhista em sua natureza; um entendido com seu pincel e as tintas, conseguindo criar imagens com temas sagrados que encantam os olhos. Ele também é entendido e ágil com sua pena, através da qual consegue unir letras sagradas, idéias e artigos de nossos Sábios ZL da Guemará, do Midrash, da Agadá, Rishonim eAcharonim, Gigantes da Torá e seus exegetas. Por meio dessa união, ele cria uma composição esplendorosa. Suas palavras são concisas e claras, capazes de despertar a alma para o amor à Torá e o temor aos Céus.
Bem-aventurado todo aquele que ler seu livro, cheio de sabedoria e conhecimento, escrito de forma clara e elucidativa. Aquele que examinar seu texto poderá, com a ajuda de Deus, subir pela escada da Torá e se unir ao Criador – louvado seja! – e servi-Lo em santidade, em estudo, em oração e no cumprimento de mitsvot, com amor, alegria e entusiasmo.”

Rabino David Benayon

***

Sobre o autor:

Ruben Rosenberg estudou no Colégio Barilan e foi ativista do Movimento Juvenil Bnei Akiva do Rio de Janeiro. Cursou a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFRJ, transferindo-se posteriormente para o Technion (Israel Institute of Technology) de Haifa. Nesse período, estudou no Bêt Midrash do Technion, dirigido pelo Rabino Eliahu Zini. Desde 1992, quando se fixou em São Paulo, Rubinho é professor da Área Judaica do Colégio Bialik, actuando também no Colégio Iavne, no projeto Kiruv e, mais recentemente, no projecto Chinuch Marcha da Vida, do Fundo Comunitário. É formado em Letras – Português e Hebraico. É casado e pai de 4 filhos.

Veja do mesmo autor:

Ensaios sobre a Torá – Bereshit (Génesis)

http://www.judaicaportugal.com/ENSAIOS_SOBRE_A_TOR__-_BERESHIT/p440356_1618314.aspx

Ensaios sobre a Torá – Shemot (Êxodo)

http://www.judaicaportugal.com/ENSAIOS_SOBRE_A_TOR__-_SHEMOT/p440356_2957995.aspx

Ensaios sobre a Torá – Vaicrá (Levítico)

http://www.judaicaportugal.com/ENSAIOS_SOBRE_A_TOR__-_VAICR_/p440356_2957864.aspx

ENSAIOS SOBRE A TORÁ – BERESHIT


Ensaios  Bereshit

Ruben Rosemberg, Editora Sêfer, 329 páginas (16×23 cm, capa dura), ISBN 85-85583-79-8, 2007

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Colectânea de ensaios sobre as porções semanais da Torá – o volume 1 é sobre o Gênesis -, apresentando uma visão inovadora e bastante didáctica sobre os temas tratados. Capa dura.

“O livro Bereshit é também chamado por nossos Sábios de “Livro dos Correctos”, pois conta a história de nossos patriarcas, que eram correctos em suas atitudes, procurando fazer o bem a todas as criaturas e agir com honestidade e rectidão. Contudo, as palavras da Torá incluem muito mais do que as próprias histórias, englobando lições de moral, segredos Divinos da Criação e da humanidade.

Este trabalho nos ajuda a desvendar parte destas lições e segredos, numa linguagem clara, trazendo ao público brasileiro sínteses de grandes livros que extraíram do texto da Torá esses grandes ensinamentos.

O autor destaca-se pelo seu bom senso, cultura, carisma e clareza na divulgação de valores éticos e judaicos, além da originalidade na forma de transmiti-los. Sem dúvida, será de grande utilidade a educadores, alunos e todos aqueles que procuram o verdadeiro significado do judaísmo.”

Rabino Raphael Shammah

***

Sobre o autor:

Ruben Rosenberg estudou no Colégio Barilan e foi ativista do Movimento Juvenil Bnei Akiva do Rio de Janeiro. Cursou a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFRJ, transferindo-se posteriormente para o Technion (Israel Institute of Technology) de Haifa. Nesse período, estudou no Bêt Midrash do Technion, dirigido pelo Rabino Eliahu Zini. Desde 1992, quando se fixou em São Paulo, Rubinho é professor da Área Judaica do Colégio Bialik, actuando também no Colégio Iavne, no projeto Kiruv e, mais recentemente, no projecto Chinuch Marcha da Vida, do Fundo Comunitário. É formado em Letras – Português e Hebraico. É casado e pai de 4 filhos.

Veja do mesmo autor:

Ensaios sobre a Torá – Shemot (Êxodo)

http://www.judaicaportugal.com/ENSAIOS_SOBRE_A_TOR__-_SHEMOT/p440356_2957995.aspx

Ensaios sobre a Torá – Vaicrá (Levítico)

http://www.judaicaportugal.com/ENSAIOS_SOBRE_A_TOR__-_VAICR_/p440356_2957864.aspx

ZEMIRÓN COMPLETO


Zemirón Completo

Edição Jairo Fridlin, Editora Sêfer, 160 páginas (14×21 cm, capa dura de luxo), ISBN 978-85-85583-95-8, 2008

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Zemirón Completo – com Tradução e Transliteração

Edição luxuosa, em papel cuchê e colorida, de todas as rezas e canções da mesa do Shabat, em três versões: hebraico, tradução completa e transliteração. Inclui a Bênção de Graças Após as Refeições, as Bênçãos Nupciais, o Kidush (Santificação) para os dias de festa, a cerimônia de Ushpizin (inédito em português) e diversas outras canções.

***

Significado do Shabat

O Shabat ocupa um lugar central no judaísmo. Sua imagem e seu múltiplo conteúdo encontram sua expressão numa vasta literatura. A ideia do Shabat e sua importância são ressaltadas na Bíblia inteira, a começar pelo relato da Criação e pelo lugar que ocupa nos Dez Mandamentos, dados durante a Revelação no Monte Sinai. É o Shabat que tem sido o factor principal da característica judaica do Povo de Israel, durante os longos séculos de sua Diáspora. O judeu, tão frequentemente oprimido e perseguido por povos malvados e cruéis, voltava a ser um homem livre ao encontrar  sua paz de espírito e descanso espiritual uma vez por semana. A libertação semanal de opressão aliviava a aflição da Galut (Diáspora, dispersão), até reduzi-lo a seis dias semanais, pois que o Shabat proporcionava um intervalo.

Deveras, parece que nunca houve uma geração que precisou tanto do descanso espiritual como a nossa. As muitas atividades de hoje em dia exigem do homem um esforço mental muito maior do que no passado. Os meios de comunicação a ele apelam incessantemente, de todos os lados, e penetram na sua vida particular e pública. O ritmo de vida estonteante da nossa época sujeita o homem a uma grande pressão. Ele não tem tempo para encontrar-se consigo e com seus pensamentos, para refletir sobre seus atos e pensar sobre suas ideias e melhorar seus passos. O ser humano perde sua personalidade. Diminui cada vez mais o número de pessoas com condições de expressar opiniões próprias sem estarem influenciadas e orientadas pelos meios de comunicação. O desligamento do grande mundo e o recolhimento para o ambiente íntimo criado pelo Shabat, por um dia, podem assegurar a liberdade espiritual do indivíduo.

Extraída da Resenha das Festas Judaicas,  do Rabino Abraham Blau, traduçãoo de Rafael Fisch, São Paulo, 1981, in “Sidur Avodat Halev”.

REFLEXÕES SOBRE A TORÁ



Rabino Moshe Grylak, Editora Sêfer, 312 páginas (14×21 cm, brochura), ISBN 85-85583-13-4, 1998 – 3ª edição

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Reflexões sobre a Torá – Parashá Ufishrá

Reflexões sobre a Torá é um livro dedicado àqueles que não estão familiarizados com os textos sagrados ou que buscam neles fontes de inspiração para os dias que vivemos. As explicações e comentários de Moshe Grylak sobre as porções semanais da Torá, originalmente publicadas na coluna Parashá Ufishrá do diário israelita Maariv, fazem chegar ao coração toda a riqueza contida na maior bem do judaísmo. Através de uma linguagem clara e acessível, profunda e repleta de sabedoria, o autor leva o leitor a conhecer de perto a única luz capaz de elevar o espírito humano: a luz da Torá.

***

A cada manhã de sábado, judeus observantes do mundo inteiro caminham até suas sinagogas e lêem exactamente a mesma Parashá, a porção da Torá referente àquela semana. Sem jamais abrir mão da profundidade de conteúdo, Reflexões sobre a Torá traz diversas destas passagens explicadas e comentadas em linguagem jornalística, simples e directa. Graças ao dom único de Moshe Grylak, o prazer e o enriquecimento espiritual que derivam desta leitura, normalmente restritos ao universo religioso judaico, tornam-se acessíveis a milhares de pessoas.

Grande parte dos textos que compõem este livro foi originalmente publicada nas edições de fim-de-semana do diário israelita Maariv. Ao longo de 16 anos consecutivos, Parashá Ufishrá, coluna escrita por Grylak, conquistou e tornou cativos leitores de todas as vertentes. Uma das explicações para o sucesso que obteve junto ao grande público diz respeito à sua habilidade inata em trazer para o presente, de forma acessível e coloquial, as lições mais profundas dos textos sagrados.

É com imenso orgulho que a Editora Sêfer lança no Brasil uma obra como esta, capaz de iluminar e alimentar o espírito com os ensinamentos mais caros do judaísmo, expostos de maneira especialmente atraente ao público religioso e laico, a judeus e não judeus.

***

Sobre o autor:

Nascido na Bélgica em 1936, Moshe Grylak imigrou aos 9 anos para Israel, onde estudou nos seminários rabínicos Col Torá, em Jerusalém, e Ponowicz, em Bene Brac.

Educador de renome, foi enviado pela Agência Judaica a São Paulo em 1966, onde trabalhou como professor no Colégio Iavne Beit Chinuch até 1970. De volta a Israel, ao lado de sua principal actividade, actuou também como redactor-chefe de diversas publicações especializadas, e responde actualmente pela conceituada revista Mishpachá, palavra hebraica que significa família.

Moshe Grylak manteve por 16 anos consecutivos uma das colunas semanais mais aclamadas do diário israelita Maariv, chamada Parashá Ufishrá, comentando a porção da Torá lida a cada Sábado, o Shabat judaico.

Além de leccionar em seminários rabínicos, Grylak percorre o mundo como conferencista, e seu nome é conhecido e reverenciado entre intelectuais judeus e não judeus. É autor de 12 livros e sua obra, em grande parte já traduzida para o inglês, francês, yidish e espanhol, lhe valeu prémios importantes no circuito literário internacional.

Moshe Grylak vive em Israel, é casado, tem seis filhos e 14 netos.

%d bloggers like this: