DICIONÁRIO DO JUDAÍSMO PORTUGUÊS



Coordenação de: Lúcia Mucznik, José Alberto Tavim, Esther Mucznik e Elvira de Azevedo Mea, Editoral Presença (Portugal), 584 páginas, já nas Livrarias!

O Dicionário do Judaísmo Português tem o objectivo de reunir e divulgar de forma sintética o conhecimento actual sobre a presença judaica em Portugal e dos judeus de origem portuguesa no mundo. O universo da obra tem como marcas temporais o estabelecimento de judeus no território que é hoje Portugal, desde o século V até ao presente, passando pela diáspora que os levou aos quatro cantos do mundo. Os artigos são da responsabilidade de mais de sessenta especialistas. Inédita em Portugal, é uma obra ao mesmo tempo rigorosa, abrangente e de fácil consulta, simultaneamente um instrumento de referência para os investigadores e de divulgação para o público em geral.

***

Factos e histórias sobre a presença judaica em Portugal reunidos num dicionário completo.

Qual a origem do termo «sefardita»? E o que significa? O que é o marranismo e quando surgiu? O adjectivo «marrano» tem uma conotação depreciativa? Quem eram os abafadores a que Miguel Torga se refere em Novos Contos da Montanha? Que língua é o ladino? Sabia que a palavra «alheira» apareceu pela primeira vez dicionarizada, com o sentido que hoje lhe conhecemos, apenas em 1949 apesar de a sua «invenção» já ter séculos? Sabe que o termo mais correcto para designar esse enchido de carne de aves e de pão é «tabafeia»? E que Angola teve vários projectos de colonização judaica, o primeiro dos quais em 1886, e o último em 1938, que propunha salvar milhares de famílias judias a troco de 230 milhões de dólares e que Salazar o recusou a fim de evitar futuras «dificuldades diplomáticas com o Führer»? As respostas a essas e a outras centenas de questões podem agora ser encontradas numa só obra.

O Dicionário do Judaísmo Português – trabalho iniciado há cerca de oito anos, segundo os seus coordenadores, e que contou com a colaboração de cerca de 60 especialistas, nacionais e estrangeiros, nas mais diversas áreas do conhecimento – sistematiza a presença judaica em Portugal e a presença e actividade dos judeus de origem portuguesa (à semelhança dos espanhóis, também estes são chamados sefarditas) no mundo. O universo abrangido pelo dicionário vai desde o momento em que há notícia do seu estabelecimento no território geográfico que é hoje Portugal, no século V, até aos dias de hoje, não esquecendo a diáspora dispersa pelo mundo. Há muitas dezenas, talvez centenas, de entradas de carácter histórico (factos e personalidades), e ainda outras tantas sobre rituais, instituições comunitárias judaicas, festas religiosas e um curioso glossário de termos hebraicos.

Basta é a bibliografia (académica mas não só) existente sobre os judeus portugueses, mas este dicionário tem a virtude de a sintetizar e em alguns casos a actualizar, proporcionando, não apenas aos investigadores mas também ao público em geral, uma obra de referência até agora inexistente por cá. Para os leitores que se interessarem por assuntos mais específicos, ou que os queiram aprofundar, é apresentada no final de cada entrada a bibliografia essencial. Um trabalho cuja publicação é de saudar.

In Revista Ler,

Jornalista: José Riço Direitinho

Anúncios

JUDEUS EM PORTUGAL DURANTE A II GUERRA MUNDIAL


Em fuga de Hitler e do Holocausto

Irene Flunser Pimentel, Editora Esfera dos Livros, 436 páginas + 32 extra textos (16×23,5 cm, brochado c/sobrecapa), ISBN 978-989-626-013-3, 2006

A partir dos anos 30, com a subida de Hitler ao poder e durante a II Guerra Mundial, Portugal tornou-se num porto de abrigo para milhares de judeus e refugiados políticos que fugiam das perseguições nazis e do Holocausto.

Chegavam por via terrestre, através de Espanha, ou em navios fretados, muitas vezes graças à ajuda de cônsules portugueses, como Aristides de Sousa Mendes, que desobedecendo às ordens do regime e às políticas de restrição de entrada da PVDE, lhes concedeu vistos que significaram a sua salvação.

Sobre a autora:

Irene Flunser Pimentel licenciou-se em História pela Faculdade de Letras da Universidade Clássica de Lisboa, em 1984. Concluiu o mestrado em História Contemporânea (variante século XX) pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, com a tese Contributos para a História das Mulheres no Estado Novo. As organizações femininas do Estado Novo (Obra das Mães pela Educação Nacional e Mocidade Portuguesa Feminina), 1936-1966. Encontra-se a terminar a tese de doutoramento sobre a PIDE/DGS, polícia política do Estado Novo, entre 1945 e 1974.

·         Retrato humano da passagem dos refugiados judeus por Portugal e a reacção do regime de Salazar

·         Calcula-se que tenham passado por Portugal entre os 50 mil e os 100 mil refugiados

·         Passaram por Portugal alguns «refugiados eminentes» como Saint  Exupéry, Heinrich Mann, Marc Chagall e Bela Bartok

·         A autora colabora desde 1994 na revista História, da qual foi directora até 2001

·         Documentação e fotografias inéditas dos refugiados

·         Autora dos seguintes livros: História das Organizações Femininas do Estado Novo, «Textos relativos a Portugal» in Contai aos Vossos Filhos. Um Livro sobre o Holocausto na Europa, 1933-45

LANÇAMENTO EM PORTUGAL DA BÍBLIA HEBRAICA (TANACH)



COM A PRESENÇA DE JAIRO FRIDLIN DA EDITORA E LIVRARIA SÊFER

A LIVRARIA JUDAICA DO BRASIL

É com grande orgulho que comunicamos a chegada da Editora e Livraria Sêfer – maior editora de livros Judaicos em Português – a Portugal por intermédio da Euroenigma, Lda.

A Euroenigma será a parceira da Sêfer para a Europa e têm o prazer oficializar esta parceria com o lançamento o lançamento da Bíblia Hebraica (Tanach) mais de 500 anos após o início da Inquisição em Portugal colmatando esta lacuna do mercado.

O lançamento desta tradução inédita para o Português é directamente do Hebraico e à luz do Talmud, das fontes Judaicas e com supervisão Rabínica e contará com a presença especial de Jairo Fridlin (um dos autores e editor desta tradução) e está marcado para os seguintes dias:

– 27 de Março 2007 pelas 18:30 na FNAC do Chiado. Este evento conta com o apoio da FNAC, APEJ (Associação Portuguesa de Estudos Judaicos) e da CIL (Comunidade Israelita de Lisboa)

– 28 de Março de 2007 pelas 22:00 no Clube Literário do Porto. Este evento conta com o apoio da Ladina (Associação de Cultura Sefardita) e do CLP (Clube Literário do Porto).

Breve explicação da obra agora apresentada em Português:

Tanach é um acrónimo utilizado dentro do Judaísmo para denominar o principal conjunto de livros sagrados, sendo esta a designação mais próxima de uma Bíblia Judaica. O conteúdo do Tanach é o original e equivalente ao Antigo Testamento, mas ligeiramente diferente no conteúdo. O Tanach contém a Torá (também conhecida por Chumash, isto é “Os Cinco” e refere-se aos cinco livros também conhecidos como Pentateuco), Neviim (Profetas) e Ketuvim (Escritos). De acordo com a tradição Judaica, o Tanach consiste de 24 livros. A Torá possui 5 livros, o Neviim possui 8 e o Ketuvim 11.

A versão em português da Bíblia Hebraica (Tanach) tem 880 páginas, capa dura de luxo e uma lombada de apenas dois centímetros e meio, porque empregou-se o chamado papel bíblia, cuja folha pesa apenas 44 gramas. O livro é uma obra coletiva. Ele o traduziu junto com David Gorodovits, do Rio, e teve a revisão técnico-religiosa dos rabinos Marcelo Borer, Daniel Touitou e Saul Paves, e dos professores Norma e Ruben Rosenberg, Daniel Presman e Marcel Berditchevsky.

Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt


Janeiro de 2007 – Literatura Judaica em Portugal através da Euroenigma


Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

%d bloggers like this: