ZEMIRÓN – Melodias para a Mesa do Shabat


IMG 19168529

Edição Jairo Fridlin, Editora Sêfer, 96 páginas (10,5×14 cm, papel couché ), ISBN 85-85583-74-6, 2002 (2006 edição revista)

Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Zemirón – com Tradução e Transliteração

Livro de bolso em papel couché, com 96 páginas, formato 10,5 x 14 cm, colorido, contendo as rezas e canções da mesa do Shabat, em hebraico, transliteração e tradução resumida.

***

Significado do Shabat

O Shabat ocupa um lugar central no judaísmo. Sua imagem e seu múltiplo conteúdo encontram sua expressão numa vasta literatura. A ideia do Shabat e sua importância são ressaltadas na Bíblia inteira, a começar pelo relato da Criação e pelo lugar que ocupa nos Dez Mandamentos, dados durante a Revelação no Monte Sinai. É o Shabat que tem sido o factor principal da característica judaica do Povo de Israel, durante os longos séculos de sua Diáspora. O judeu, tão frequentemente oprimido e perseguido por povos malvados e cruéis, voltava a ser um homem livre ao encontrar  sua paz de espírito e descanso espiritual uma vez por semana. A libertação semanal de opressão aliviava a aflição da Galut (Diáspora, dispersão), até reduzi-lo a seis dias semanais, pois que o Shabat proporcionava um intervalo.

Deveras, parece que nunca houve uma geração que precisou tanto do descanso espiritual como a nossa. As muitas atividades de hoje em dia exigem do homem um esforço mental muito maior do que no passado. Os meios de comunicação a ele apelam incessantemente, de todos os lados, e penetram na sua vida particular e pública. O ritmo de vida estonteante da nossa época sujeita o homem a uma grande pressão. Ele não tem tempo para encontrar-se consigo e com seus pensamentos, para refletir sobre seus atos e pensar sobre suas ideias e melhorar seus passos. O ser humano perde sua personalidade. Diminui cada vez mais o número de pessoas com condições de expressar opiniões próprias sem estarem influenciadas e orientadas pelos meios de comunicação. O desligamento do grande mundo e o recolhimento para o ambiente íntimo criado pelo Shabat, por um dia, podem assegurar a liberdade espiritual do indivíduo.

Extraída da Resenha das Festas Judaicas,  do Rabino Abraham Blau, tradução de Rafael Fisch, São Paulo, 1981, in “Sidur Avodat Halev”.

FORÇA 13 – OPERAÇÃO BAR-MITZVÁ


Força 13

Smader Shir, Avi Rath, Editora Sêfer, 139 páginas (10×18 cm), ISBN 978-85-7931-001-0, 2009

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

BRASIL:http://www.sefer.com.br/details/10805/força-13

***

FORÇA 13 – Operação Bar-Mitzvá

Daniel é um jovem de 12 anos que sonha em viajar para a Disney quando fizer seu Bar-Mitsvá. Nada de festa, nada de aulas – apenas a Disney.

De repente, um velhinho de barba branca e capacete de astronauta aparece na sua janela! A partir daí, esse jovem vive uma fantástica aventura: uma vez por mês, o velhinho o leva para viajar no tempo – nas terras de Portugal, em 1496; no campo de Auschwitz, em 1940; a bordo do barco Exodus, em 1947; nos porões da KGB, em 1970; no deserto do Sinai, em 1973; na Etiópia, em 1984; no Quênia e na Amazônia brasileira.

Ao percorrer esses momentos tão importantes da história do povo judeu, Daniel amadurece e decide fazer parte da Força 13 – a enorme legião de jovens judeus de todo o mundo que vê a colocação dos tefilin como um marco indispensável da, sua identidade judaica.

MAZAL TOV! LIVRO DA VIDA


Mazal TovIMG 1638

Grupo Barak da WIZO e Editora Sêfer, 29 páginas (24×27 cm, capa dura), 

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

BRASIL:http://www.sefer.com.br/details/8566/mazal-tov-livro-da-vida

***

MAZAL TOV! LIVRO DA VIDA

Álbum de nascimento do bebé que destaca os diversos momentos especiais do desenvolvimento, dando ênfase às datas judaicas. Vem com sugestões de nomes hebraicos ara menino e menina. É um lindo presente para levar à maternidade.

SHIMSHON – AS LETRAS DO ALFABETO HEBRAICO


Shim

Mónica Guttmann, Editora Sêfer, 40 páginas (18×25 cm, brochura), ISBN 85-85583-15-0, 1998

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

BRASIL:http://www.sefer.com.br/details/235/shimshon

***

As Letras do Alfabeto Hebraico – Colecção Seferzinho

“Shimshon despediu-se de seu pai, de sua mãe, de seu irmão e de sua irmã, e saiu em busca de sua própria história. Shimshon queria encontrar a paz… onde?”

Um personagem encantador percorrendo os caminhos da paz, trazendo as mais alegres mensagens em histórias para viver, aprender e sonhar…

Shimshon é um livro adorável para crianças em fase da alfabetização, um delicioso convite a um primeiro contacto com o Alef-Beit, o alfabeto hebraico, traduzindo os ensinamentos dessa cultura ancestral que “vai directo ao coração das pessoas”.

Um delicioso presente de Mónica Guttmann a seus jovens leitores, Shimshon é um livro que diverte, ensina e ilumina os caminhos da imaginação.

Heloisa Prieto

***

Sobre a autora:

Nascida em São Paulo, Mónica Guttmann é formada em Psicologia, com especializações em Arte-Terapia e Arte-Educação, áreas nas quais actua. Também escreve e ilustra contos publicados em revistas diversas e livros didácticos. Além de SHIMSHON, seus outros trabalhos destinados ao público infantil são ARMANDO (1990), QUERO TE CONTAR UMA HISTÓRIA (1993) e SEMENTES DE CARINHO PARA SEU NINHO (1993).

O CAMINHO DOS JUSTOS – MESSILAT IESHARIM


Capinha caminho dos justos

Rabino Moshe Chaim Luzzato, 328 páginas (14×21 cm, capa flexível), ISBN 85-85583-31-2, 2002

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

BRASIL:http://www.sefer.com.br/details/170/caminho-dos-justos

***

Messilat Iesharim

Este clássico da literatura religiosa judaica, escrito no século 18, ensina como alcançar uma vida santificada, baseada na mais pura e verdadeira devoção a Deus e às Suas leis.

O Caminho, descrito e explorado etapa por etapa, parte da observação e do pensamento na busca por valores como Dedicação, Integridade, Pureza, Virtude, Humildade e Temor, para se atingir o ideal da Santidade em nossa existência.

***

Sobre o Autor:

O Rabino Moshe Chaim Luzzatto, o “Ramchal”, assim conhecido por suas iniciais em hebraico, foi uma das figuras mais extraordinárias da história judaica. Nascido em Pádua, na Itália, em 1707, revelou ainda criança sua verdadeira genialidade no estudo da Torá. Aos 11 anos de idade, já dominava totalmente o Talmud e, aos 14, escreveu seu primeiro livro. Também muito jovem, aos 13 anos, mergulhou no estudo da Cabalá a partir das obras do Ari ZAL, e seu talento fez com que se tornasse um dos grandes cabalistas de todos os tempos.

Como havia ocorrido séculos antes com Maimónides, também o Ramchal foi um dos eruditos mais polémicos e discutidos de sua geração. Sua extrema capacidade, especialmente no campo do misticismo judaico, chegou a levantar desconfiança entre os estudiosos, pois vivia-se a época posterior à dos falsos messias, e as desastrosas deturpações espirituais que produziram ainda traziam à tona a profunda cautela da comunidade rabínica.

A natureza inovadora e rica do seu trabalho provocou que um sábio da época escrevesse aos rabinos de Ancona, para que investigassem o Ramchal “da cabeça aos pés”, pois havia sido informado de que ele, o Ramchal, receberia mensagens de um Maguid (anjo) que, por sua vez, lhe revelaria segredos místicos.

As sanções da comunidade rabínica local contra o Ramchal acabaram tornando-o objecto de um “Cherem” (carta de excomunhão). Nesta situação dolorosa e injusta, ele deixou Pádua e seguiu para Amesterdão, esperando encontrar um ambiente receptivo às suas ideias e ao seu trabalho. Apenas mais tarde se tornaria claro que o alto rabinato da Itália e de alguns outros países europeus havia se deixado tomar pelo medo frente à postura inovadora do Ramchal, e que, na verdade, ele era um ilustre estudioso que viria a iluminar o caminho de gerações futuras. Com o tempo, a verdade emergiu mais forte do que nunca, e o Ramchal foi consagrado como um dos sábios mais importantes de todas as gerações. Seus livros – entre os quais se destacam “O Caminho de Deus” e o “Caminho dos Justos” – são tratados até hoje como fontes de referência no estudo da Torá.

Como muitos dos líderes da história judaica, o Ramchal acalentava o sonho de morar na Terra de Israel, para poder se aproximar ainda mais de Deus. E assim fez, indo morar para a cidade de Aco. Porém, três anos depois de sua chegada, faleceu precocemente aos 39 anos de idade, sendo enterrado na cidade de Tiberíades, ao lado do túmulo do Rabi Akiva.

CHASSIDISMO – O MOVIMENTO E SEUS MESTRES


Chassidismo Vol 10

Harry M Rabinowicz, A. Koogan (Editor), Editora Sêfer, 441 páginas (18×24 cm, brochura), 1990

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Chassidismo, o Movimento e seus Mestres

Apresenta a história completa, do surgimento aos nossos dias, desse movimento tão singular em suas concepções e em sua prática do judaísmo.

A evolução das ideias e dos centros chassidicos, as disputas com outras correntes do judaísmo, as biografias dos grandes mestres, são narrados com leveza e um certo humor.

O livro conta também com índice remissivo, notas e bibliografia.

Paulo Geiger

Editor

(Este livro é o volume 10 da Colecção Judaica)

A ROSA DE TREZE PÉTALAS – Introdução à Cabala e à Fé Judaica


A Rosa de Treze Pétalas

Adin Even Yisrael (Steinsaltz), Editora Maayanot, 166 páginas (21×14 cm, Brochura), ISBN 978-85-85512-76-8, 1992 (2ª Edição 2002)

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

BRASIL: http://www.sefer.com.br/details/657/rosa-de-treze-pétalas 

***

A Rosa de Treze Pétalas – Introdução à Cabala e à Fé Judaica

Esclarece conceitos fundamentais da tradição mística judaica, a Cabalá, apresentando uma nova visão do papel da fé como instrumento para a busca de Deus.
***
Segundo a Cabala, o mundo em que vivemos – o universo material visível e sensível – é apenas a parte aparente de um imenso iceberg espirítual de estruturas complexas.
É este mundo oculto, cuja compreensão é indispensável para conhecer a verdadeira realidade da nossa existência, que Adin Steinsaltz resolveu descrever neste breves ensaios.
Este mestre inconteste do pensamento judaico contemporâneo esclarece, assim, certos conceitos fundamentais da tradição mística judaica: os quatro mundos da Cabala, os Anjos, as Sefirot.
Apresentando uma nova visão do papel da fé, na prática e na busca de D’us, Adin Steinsaltz elabora uma síntese teológica tão clara quanto brilhante, que permite o acesso às próprias fontes da mística judaica.

***

Sobre o autor:

Sábio, professor, rabino, místico, cientista e crítico social,  Adin Steinsaltz é considerado, internacionalmente, como um dos maiores sábios do século XX.

Além dos seus estudos judaicos, o Rabino Steinsaltz estudou matemática na Hebrew University of Jerusalem.

É diretor do The Israel Institute for Talmudic Publications e estabeleceu como objetivo de sua vida a popularização do Talmud. Mais de 30 volumes já foram publicados, de sua nova tradução (do Aramaico) para o hebraico e comentários sobre o Talmud da Babilônia e de Jerusalém, vendendo mais de um milhão de exemplares no mundo inteiro.

Atualmente, dedica-se a preparar uma edição em inglês, para levar o Talmud ao maior público possível. Rabino Steinsaltz foi professor residente na Yale University e no Institute of Advanced Studies of Princeton University. Em 1988, recebeu o Prêmio Israel, a maior honra conferida pelo seu país.

Em Israel, onde o Rabino Adin Steinsaltz reside com toda a sua família, bem como na Europa e nos Estados Unidos, suas palestras e prolíficos escritos atraíram muitos seguidores, inspirando um grupo significativo de discípulos.

Nos seus livros, os leitores encontrarão um mestre que, apesar de profundamente arraigado no chassidismo – a forma mais tradicional do judaísmo – , é extremamente eficiente ao explicar o significado da existênciajudaica aos leigos.

Sua sabedoria, compreensão e conhecimentos alimentaram a muitos em setores aparentemente diversos, tanto dentros do mundo judaico, como fora dele.

TALMUD DA BABILÔNIA – TRATADO DE SUCÁ


TALMUD  SUCÁ

David Azulay, Editora Sêfer, 448 páginas (21x28cm, Capa Dura), ISBN 978-85-7931-015-7, 2011

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

BRASIL: http://www.sefer.com.br/details/8848/talmud-da-babilônia-tratado-de-sucá

***

Talmud da Babilônia – Tratado de Sucá – Hebraico/Aramaico e Português

O Talmud da Babilônia foi redigido entre os anos 200 e 500 da era comum. Mas só agora um de seus tratados está disponível completamente em português!

O tratado em questão chama-se SUCÁ e analisa os aspectos principais da Festa dos Tabernáculos (Sucót). Mas o leitor perceberá, assim que começar a estudá-lo, que inúmeros outros temas são trazidos à baila a cada momento, o que transforma cada tratado numa enciclopédia de conhecimento judaico geral.

Esta edição de luxo não se limita apenas à tradução literal do texto, que já seria algo interessante embora incompreensível, mas, sim, transcreve seu real sentido e contexto. Para tanto, foram incluídos todos os comentários do Rashi (o mais importante e fundamental exegeta judeu de todos os tempos), e, em certos casos, os dos Tossafot. Além disso, quando necessário, foram trazidos comentários adicionais de outros exegetas de diversas gerações e cada novo tema ou conceito é apresentado em amplas e elucidativas notas de rodapé.

A obra é riquíssima em diagramas e ilustrações, e traz a versão original em hebraico-aramaico no final. O formato é 21×28 cm.

***

“Até hoje, os portões do Talmud Babilônico estavam fechados para muitos dos que falam a língua portuguesa. Portanto, este é um dia de Festa da Torá para o judaísmo do Brasil em particular, e em geral para todos aqueles que falam o português, por motivo do lançamento deste elevado projeto de explicações do Talmud e seus comentaristas – Rashi e Tossafot – na língua do país.”

 Rabino Netanel Tzipel

***

“O jovem sábio David Azulay não contente em traduzir uma obra do Talmud, o Tratado de Sucá, ainda o fez com explicações do Rashi, Tossafot e outros. Este belo trabalho ainda inclui desenhos e diagramas, os quais visam facilitar a compreensão de textos difíceis. O leitor há de pensar que este livro é o menor e mais fácil do Talmud. De fato não o é; ao contrário, contém textos de extrema dificuldade.”

 Rabino Pinchas Ellovitch

***

“Fiquei bastante impressionado com a tradução e explicação do texto da Massechet Sucá na língua portuguesa. O autor mostrou seu grande entendimento de cada detalhe, e soube expressar as ideias com clareza, de forma lúcida e didática, mesmo para pessoas que não estão acostumadas ao raciocínio e linguajar rebuscado do Talmud.

A apresentação gráfica, distinguindo tamanhos de letra, facilita muito a leitura e o entendimento, além de fazer com que o estudo seja agradável e prazeroso. A obra não se limita somente ao texto superficial, mas inclui os comentários dos Tossafot e outros, quando o autor julgou necessário aproximar e aprofundar as ideias da guemará.”

 Rabino Raphael Shammah

TROPICASHER – BERESHIT


Tropicasher  Bereshit

Paulinho Rosembaum, 71 páginas, 2012

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

BRASIL: http://www.sefer.com.br/details/12240/tropicasher-bereshit

TROPICASHER: http://www.tropicasher.com.br/

***

Tropicasher – Bereshit

Paulinho Rosenbaum brinda o público com seus comentários bem humorados sobre as porções semanais da Torá, trazendo pensamentos e reflexões de alguns dos maiores Gueonim (gênios) do pensamento judaico, com arte espiritual e muita criatividade.

Tropicasher é uma receita espiritual que mistura conceitos, situações, ideologias, idiomas, crônica social e uma pitada de humor para dar um sabor todo tropical à sua narrativa.

***

Sobre o Autor:

Paulinho Rosenbaum, nasceu em São Paulo e foi criado nos Estados Unidos do Bom Retiro, de onde partiu para Israel, a Areia que Virou Mel, onde tornou-se Bacharel em Sociologia, Antropologia e Ciências Políticas. Sua mania de misturar Judaísmo, Brasil e Humor nos trabalhos universitários, levava um colorido especial às dissertações. Sua tese em Ciências Políticas, escrita em 1984, sobre a eventualidade de Brasil e China se tornarem o fiel da balança político-econômica mundial num prazo de trinta anos, lhe rendeu um 90 pela beleza e claridade da apresentação. O professor em questão, apenas não lhe deu 100 porque achou a tese fantasiosa demais.

Nesta obra, Paulinho brinda o público com seus comentários bem humorados sobre as porções semanais da Torá, trazendo pensamentos e reflexões de alguns dos maiores Gueonim (gênios) do pensamento judaico, com arte espiritual e muita criatividade. Tropicasher é uma receita espiritual que mistura conceitos, situações, ideologias, idiomas, crônica social e uma pitada de humor para dar um sabor todo tropical à sua narrativa.

Se fosse você, eu lia.

Paulinho Rosenbaum

O CAMINHO DOS JUSTOS


Capinha caminho dos justos

Rabino Moshe Chaim Luzzato, 328 páginas (14×21 cm, capa flexível), ISBN 85-85583-31-2, 2002

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

BRASIL: http://www.sefer.com.br/details/170/caminho-dos-justos

***

Messilat Iesharim

Este clássico da literatura religiosa judaica, escrito no século 18, ensina como alcançar uma vida santificada, baseada na mais pura e verdadeira devoção a Deus e às Suas leis.

O Caminho, descrito e explorado etapa por etapa, parte da observação e do pensamento na busca por valores como Dedicação, Integridade, Pureza, Virtude, Humildade e Temor, para se atingir o ideal da Santidade em nossa existência.

***

Sobre o Autor:

O Rabino Moshe Chaim Luzzatto, o “Ramchal”, assim conhecido por suas iniciais em hebraico, foi uma das figuras mais extraordinárias da história judaica. Nascido em Pádua, na Itália, em 1707, revelou ainda criança sua verdadeira genialidade no estudo da Torá. Aos 11 anos de idade, já dominava totalmente o Talmud e, aos 14, escreveu seu primeiro livro. Também muito jovem, aos 13 anos, mergulhou no estudo da Cabalá a partir das obras do Ari ZAL, e seu talento fez com que se tornasse um dos grandes cabalistas de todos os tempos.

Como havia ocorrido séculos antes com Maimónides, também o Ramchal foi um dos eruditos mais polémicos e discutidos de sua geração. Sua extrema capacidade, especialmente no campo do misticismo judaico, chegou a levantar desconfiança entre os estudiosos, pois vivia-se a época posterior à dos falsos messias, e as desastrosas deturpações espirituais que produziram ainda traziam à tona a profunda cautela da comunidade rabínica.

A natureza inovadora e rica do seu trabalho provocou que um sábio da época escrevesse aos rabinos de Ancona, para que investigassem o Ramchal “da cabeça aos pés”, pois havia sido informado de que ele, o Ramchal, receberia mensagens de um Maguid (anjo) que, por sua vez, lhe revelaria segredos místicos.

As sanções da comunidade rabínica local contra o Ramchal acabaram tornando-o objecto de um “Cherem” (carta de excomunhão). Nesta situação dolorosa e injusta, ele deixou Pádua e seguiu para Amesterdão, esperando encontrar um ambiente receptivo às suas ideias e ao seu trabalho. Apenas mais tarde se tornaria claro que o alto rabinato da Itália e de alguns outros países europeus havia se deixado tomar pelo medo frente à postura inovadora do Ramchal, e que, na verdade, ele era um ilustre estudioso que viria a iluminar o caminho de gerações futuras. Com o tempo, a verdade emergiu mais forte do que nunca, e o Ramchal foi consagrado como um dos sábios mais importantes de todas as gerações. Seus livros – entre os quais se destacam “O Caminho de Deus” e o “Caminho dos Justos” – são tratados até hoje como fontes de referência no estudo da Torá.

Como muitos dos líderes da história judaica, o Ramchal acalentava o sonho de morar na Terra de Israel, para poder se aproximar ainda mais de Deus. E assim fez, indo morar para a cidade de Aco. Porém, três anos depois de sua chegada, faleceu precocemente aos 39 anos de idade, sendo enterrado na cidade de Tiberíades, ao lado do túmulo do Rabi Akiva.

%d bloggers like this: