SHIMSHON – AS LETRAS DO ALFABETO HEBRAICO


Shim

Mónica Guttmann, Editora Sêfer, 40 páginas (18×25 cm, brochura), ISBN 85-85583-15-0, 1998

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

BRASIL:http://www.sefer.com.br/details/235/shimshon

***

As Letras do Alfabeto Hebraico – Colecção Seferzinho

“Shimshon despediu-se de seu pai, de sua mãe, de seu irmão e de sua irmã, e saiu em busca de sua própria história. Shimshon queria encontrar a paz… onde?”

Um personagem encantador percorrendo os caminhos da paz, trazendo as mais alegres mensagens em histórias para viver, aprender e sonhar…

Shimshon é um livro adorável para crianças em fase da alfabetização, um delicioso convite a um primeiro contacto com o Alef-Beit, o alfabeto hebraico, traduzindo os ensinamentos dessa cultura ancestral que “vai directo ao coração das pessoas”.

Um delicioso presente de Mónica Guttmann a seus jovens leitores, Shimshon é um livro que diverte, ensina e ilumina os caminhos da imaginação.

Heloisa Prieto

***

Sobre a autora:

Nascida em São Paulo, Mónica Guttmann é formada em Psicologia, com especializações em Arte-Terapia e Arte-Educação, áreas nas quais actua. Também escreve e ilustra contos publicados em revistas diversas e livros didácticos. Além de SHIMSHON, seus outros trabalhos destinados ao público infantil são ARMANDO (1990), QUERO TE CONTAR UMA HISTÓRIA (1993) e SEMENTES DE CARINHO PARA SEU NINHO (1993).

TALMUD TORÁ


Graduation

 

TALMUD TORÁ

A Mitzvá (mandamento) de Talmud Torá – O Estudo da Torá – é um preceito fundamental do judaísmo. Os sábios ensinam-nos que a Torá é uma das três coisas sobre as quais o mundo se apoia, e que o “estudo da Torá supera todas as outras Mitsvót” em importância e na recompensa que encerra. As dimensões de conhecimento derivadas do estudo são teóricas e práticas, abstratas e concretas, uma orientação de vida.

O estudo da Torá é não só um meio mas um fim, uma componente essencial do judaísmo. A noção judaica de “um reino de sacerdotes e uma nação sagrada” apoia-se, no fato de o conhecimento judaico não estar limitado a uma casta instruída separada, mas ser incumbência de todos.

No estudo da Torá, há uma relação dialética entre demandas objectivas e afinidades pessoais; algum atalho plausível deve ser procurado, entre os dois. A pessoa deve ter em mente a diferença entre experiência e conhecimento.

Um elemento essencial, independentemente do assunto, é a regularidade do estudo, um compromisso inflexível com o estudo que deve ser em grupo, com um professor ou alguém mais experimentado. Um professor deve servir de mentor, mestre e guia.

Um tipo de conhecimento que é essencial é a linguagem das fontes, especialmente o idioma hebraico (mesmo que só a compreensão passiva), apenas confiar no “judaísmo traduzido” é perigoso tanto para as comunidades, como para os indivíduos.

É muito importante conhecer a Bíblia Hebraica – Tanach, se possível na sua totalidade. O que é essencial é o conhecimento do conteúdo global dos vários livros, os temas e as estórias.

Chumash (Torá) é coberto na totalidade uma vez por ano e cada porção lida e estudada semanalmente.

Outra área importante de estudo é a Halachá que oferece orientação para a maneira de proceder: leis de observância diária, como as da oração, Shabat, Cashrut, e Taharat Hamishpachá (pureza familiar). O Kitsur Shulchan Aruch é um dos pontos de partida para o estudo de todas estas leis e costumes.

Talmud (Torá Oral) e os seus comentários representam outra área significativa de estudo e aprendizado. A ignorância do Talmud é mais grave que a ignorância das escrituras, pois ele é a base para quase todas as áreas do judaísmo, que estão direta ou indiretamente ligadas a ele; dá equilíbrio ao espírito e restringe as inclinações mais extremas.

O estudo do misticismo judaico, a Cabala, apresenta um problema especial pois apesar de ser provavelmente o único sistema teológico judaico existente, não é uma disciplina em si mesma, mas está estritamente relacionada com a prática religiosa em geral. É um comentário (em certo sentido) sobre a Torá escrita e oral e não pode ser separada nem na teoria nem na prática, de todo o conjunto das Mitsvót. É falso e desorientado visualizar a tradição mística judaica separada do contexto maior do judaísmo como um todo.

Por último o estudo do Pensamento Judaico em suas muitas facetas.

O estudo da Torá é portanto, uma mistvá fundamental por direito próprio, da incumbência de todo judeu, enquanto viver.

 

***

Bibliografia:

Teshuvá – Um Guia para o Judeu Recém Praticante

Adin Even Yisrael (Steinsaltz), Editora Maayanot, 254 páginas (14×21 cm, brochura), ISBN 85-85512-21-0, 1994 (reedição de 2006)

Link: http://www.judaicaportugal.com/TESHUV_/p440356_1884963.aspx

 

A Mitzvá (mandamento, conexão) de Talmud Torá – O Estudo da Torá – é um preceito fundamental do judaísmo. Os sábios ensinam-nos que a Torá é uma das três coisas sobre as quais o mundo se apoia, e que o “estudo da Torá supera todas as outras Mitsvót” em importância e na recompensa que encerra. As dimensões de conhecimento derivadas do estudo são teóricas e práticas, abstratas e concretas, uma orientação na vida.
O estudo da Torá é não só um meio mas um fim, uma componente essencial do judaísmo. A noção judaica de “um reino de sacerdotes e uma nação sagrada” apoia-se, no fato de o conhecimento judaico não estar limitado a uma casta instruída separada, mas ser incumbência de todos.
No estudo da Torá, há uma relação dialética entre demandas objectivas e afinidades pessoais; algum atalho plausível deve ser procurado, entre os dois. A pessoa deve ter em mente a diferença entre experiência e conhecimento.
Um elemento essencial, independentemente do assunto, é regularidade do estudo, um compromisso inflexível com o estudo que deve ser em grupo, com um professor ou alguém mais experimentado. Um professor deve servir de mentor, mestre e guia.
Um tipo de conhecimento que é essencial é a linguagem das fontes, especialmente o idioma hebraico (mesmo que só a compreensão passiva), apenas confiar no “judaísmo traduzido” é perigoso tanto para as comunidades, como para os indivíduos.
É muito importante conhecer a Bíblia Hebraica – Tanach, se possível na sua totalidade. O que é essencial é o conhecimento do conteúdo global dos vários livro, os temas e as estórias.
O Chumash (Torá) é coberto na totalidade uma vez por ano e cada porção lida e estudada semanalmente.
Outra área importante de estudo é a Halachá que oferece orientação para a maneira de proceder: leis de observância diária, como as da oração, Shabat, Cashrut, e Taharat Hamishpachá (pureza familiar). O Kitsur Shulchan Aruch é um dos pontos de partida para o estudo de todas estas leis e costumes.
O Talmud (Torá Oral) e os seus comentários representam outra área significativa de estudo e aprendizado. A ignorância do Talmud é mais grave que a ignorância das escrituras, pois ele é a base para quase todas as áreas do judaísmo, que estão direta ou indiretamente ligadas a ele; dá equilíbrio ao espírito e restringe as inclinações mais extremas.
O estudo do misticismo judaica, a Cabala, apresenta um problema especial pois apesar de ser provavelmente o único sistema teológico judaico existente, não é uma disciplina em si mesma, mas está estritamente relacionada com a prática religiosa em geral. É um comentário (em certo sentido) sobre a Torá escrita e oral e não pode ser separada nem na teoria nem na prática, de todo o conjunto das Mitsvót. É falso e desorientado visualizar a tradição mística judaica separada do contexto maior do judaísmo como um todo.
Por último o estudo do Pensamento Judaico em suas muitas facetas.
O estudo da Torá é portanto, uma mistvá fundamental por direito próprio, da incumbência de todo judeu, enquanto viver.
***
Bibliografia:
Teshuvá – Um Guia para o Judeu Recém Praticante
Adin Even Yisrael (Steinsaltz), Editora Maayanot, 254 páginas (14×21 cm, brochura), ISBN 85-85512-21-0, 1994 (reedição de 2006)

DICIONÁRIO PORTUGUÊS-HEBRAICO / HEBRAICO-PORTUGUÊS


Dicionário

Abraham e Shoshana Hatzamri, Editora Sêfer, 720 páginas (14×21, capa dura), ISBN 85-85583-27-4, 2000 (4ª edição).

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

Mais de 12.000 exemplares vendidos!

***

Dicionário Português-Hebraico / Hebraico-Português

Indica o género de cada palavra, para você aprender como flexionar o plural e que adjectivo utilizar. Além disso, indica o feminino e os plurais.

As palavras em hebraico aparecem vocalizadas com pontinhos. No começo do aprendizado, isto é fundamental!

Apresenta várias opções de tradução e sinónimos, a exemplo dos melhores e mais modernos dicionários do género.

Traz no início da obra uma longa lista de abreviaturas e seus significados.

São mais de 37 mil palavras e expressões idiomáticas, o que o torna o mais moderno já editado.

INDISPENSAVEL PARA O ESTUDO DO HEBRAICO MODERNO E BÍBLICO!

MANUAL DE CONVERSAÇãO EM HEBRAICO C/ 2 CDS DE AUDIO


Manuel conversação hebraico

Nira Trumper, 160 páginas (17,5×14 cm, capa dura e c/2Cds de audio), ISBN 978-85-85583-24-8, 2007 (4ª edição)

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Com Transliteração e 2 Cd’s de Áudio

Este Manual de Conversação em Hebraico tem por finalidade ajudar estudantes do idioma e turistas em viagem a Israel a lidar com todo o tipo de situações da vida quotidiana em Israel. Ao fornecer Expressões do idioma hebraico falado – em 3 versões: hebraico, português e na forma transliterada -, ele contribuirá para enriquecer o vocabulário do estudante e dará mais segurança a quem visita Israel, além daquele gostinho todo especial de falar no idioma local – o idioma da Bíblia!

Para facilitar isso, abriu-se mão da “gramática normativa” e optou-se pela maneira de falar actual, para que o estudante ou turista seja ouvido tal qual um israelita – e não como um estrangeiro. Daí a necessidade de se ouvir com atenção os CDs, para se adquirir uma boa e correcta pronúncia. Baruch Habá!

HEBRAICO FÁCIL


Hebraico facil2

Prolog / Israel, Editora Sêfer, livro (320 páginas – 16×23 cm, capa dura) + 3 CDs e DVD, ISBN 978-85-85583-40-8–, 2007 (2ª edição)

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Hebraico Fácil – Aprenda Sozinho! Curso Completo.

Este curso audiovisual, composto de livro, 3 CD’s de áudio e um DVD, foi elaborado especialmente para autodidatas que desejam adquirir uma base sólida para ler, escrever e compreender o idioma hebraico.

***

Estrutura e Metodologia

Comece cada uma das 30 lições no LIVRO DE TEXTOS, que traz a tradução e a transliteração de todo o vocabulário, diálogos, exercícios e noções concretas de gramática, tudo passo a passo, com clareza e objetividade.

Em seguida, escute a lição no CD, faixa a faixa. A gravação clara e pausada, realizada por locutores profissionais de Israel, possibilitará ao estudante aprender a pronúncia correta das palavras (entonação e acentuação), como se fala em Israel, sem sotaques estranhos que atrapalham o aprendizado.

Depois de formar seu vocabulário, aprender verbos e gramática (a parte teórica), você passará para o DVD, que contém 25 dramatizações do dia-a-dia, de 2 a 3 minutos cada uma. Nelas, você participará ativamente de conversas com os atores, por meio da leitura de subtítulos em hebraico que aparecerão na tela (mas constam do livro também).

Através da aplicação prática dos conhecimentos anteriormente adquiridos, você vai estar treinado e seguro para um bom bate-papo em situações similares que acontecerão no futuro. Este é o grande diferencial deste moderno método, desenvolvido e bastante utilizado por estudantes estrangeiros em Israel e em todo o mundo.

APRENDA SOZINHO A LÍNGUA DO POVO DE ISRAEL!

O MAIS COMPLETO GUIA SOBRE JUDAÍSMO


Rabino Benjamin Blech, Editora Sêfer, 496 páginas (16×23 cm, brochura), ISBN 85-85583-53-3, 2004

Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Você não precisa de ser Judeu para conhecer esta religião milenar! É claro que você não é tolo. Você sabe que o cristianismo e o islamismo derivam do judaísmo, a “religião-mãe”, mas não têm a certeza do que elas têm em comum e em que são diferentes. O que faz do Judaísmo uma religião singular? O que os Judeus encontram em sua crença que lhes dá sabedoria, conforto e plenitude espiritual?

Compreender o judaísmo não é assim tão difícil – especialmente se você tem O Mais Completo Guia sobre Judaísmo nas mãos. Este livro traz:

·O bê-á-bá do judaísmo.

·Explicações claras e precisas das primeiras crenças, leis e costumes de um povo milenar.

·Origens e interpretações das tradições mantidas por judeus de todo o mundo.

·Apresentação concisa das principais obras do judaísmo – da Bíblia aos ensinamentos da Cabalá.

·A visão judaica sobre sexo, casamento, criação dos filhos, luto e muito mais.

·Comentários e reflexões sobre os desafios contemporâneos do povo judeu.

Aprenda mais sobre:

·Tradições populares, rituais e cerimónias.

·O que acontece em uma sinagoga.

·As três diferentes maneiras de rezar.

·As grandes festas e como celebrá-las.

·Os estágios do luto segundo o judaísmo.

·Misticismo e Cabalá.

·Reflexões do Talmud e do Midrásh.

Sobre o Autor:

O Rabino Benjamin Blech é um educador, líder religioso, escritor e um orador conhecido nos Estados Unidos e Internacionalmente. Ele é professor associado da Yeshiva University e rabino emérito da Congregação Young Israel of Oceanside, em Nova York. Aparece com frequência em canais de TV norte-americanos e escreve para jornais e revistas como Newsweek e The New York Times. Seu sítio na internet é www.benjaminblech.com.

Comentário sobre esta obra:

Com sensibilidade e conhecimento, o rabino Blech expõe as muitas cores do pensamento judaico um verdadeiro arco-íris em technicolor. Através de uma mescla única de relatos, midrashim, princípios éticos e história, somos convidados a conhecer de perto este rico universo.

Richard M. Joel, ex-presidente e director internacional da Fundação Hillel: Fundação para uma Vida Universitária Judaica, e a actual presidente da Yeshiva University de Nova York.

Euroenigma associa-se ao Evento Letras do Mundo na Byblos



Vai decorrer na Livraria Byblos, entre 26 de Maio e 5 de Junho de 2008, a primeira edição das «Letras do Mundo», dedicada a Israel, actualmente a celebrar o seu 60º aniversário.

Durante esse período, mais de uma centena de títulos, em português mas também em inglês e francês, bem como um ciclo de conferências e outras iniciativas afins, proporcionarão ao público a possibilidade de conhecer muitas das obras mais significativas da literatura hebraica moderna, contemporânea do regresso à Palestina, da criação de Israel e das suas seis décadas de existência, bem como o contexto histórico em que ela se afirmou como uma da mais vibrantes literaturas do mundo.

Como não podia deixar de ser, a editora Sêfer através da Euroenigma associa-se a este evento e estará presente com grande parte do seu sortido de títulos, que mesmo depois do evento continuarão disponíveis na livraria e no “website” da Byblos.

A cerimónia de abertura (dia 26 de Maio) será presidida por S. E. o Embaixador de Israel, Sr. Aaron Ram, e incluirá um concerto de música klezmer, pelo Mucznik Quintet.

Richard Zimler, autor do best-seller mundial «O último cabalista de Lisboa», abordará na sua conferência (dia 27 de Maio) o tema da «busca de identidade» judaica, traçando o mapa dos «paralelismos entre a ficção da diáspora e a ficção israelita».

Lúcia Liba Mucznik, tradutora para português de autores como Amos Oz, David Grossman, Alona Kimhi ou Etgar Keret, partilhará com o público (dia 28 de Maio) «reflexões em torno da língua e literatura hebraicas contemporâneas», considerando o movimento que transportou o hebraico – língua dormente durante dois mil anos, reservada apenas aos actos de culto – «do texto sagrado para a rua».

Lídia Jorge, a autora de «O dia dos prodígios» e «O cais das merendas», debruçando-se sobre a obra «Em carne viva», de David Grossman, falará (dia 30 de Maio) da «chamada da terra», isto é, nas suas palavras, da forma exemplar como naquele autor israelita o impulso poético existe em permanente tensão com a urgência do político.

Rui Zink, autor de «Hotel Lusitano» e «Dádiva divina», conversará com o público (dia 4 de Junho) «em torno de Amos Oz».

A história e a actualidade serão abordadas por João Pereira Coutinho, colunista do «Expresso» e da «Folha de São Paulo», numa conferência (dia 3 de Junho) intitulada «Operação Shylock: Ficções e Realidade».

O ciclo encerra dia 5 de Junho, com uma palestra de Esther Mucznik, investigadora de Estudos Judaicos e co-autora e editora da obra «Israel, ontem e hoje», sobre «Israel ou a Difícil Busca da “Normalidade”».

Durante as «Letras do Mundo» terá lugar uma leitura de poemas (dia 27 de Maio), de Rami Saari e por Rami Saari, poeta israelita contemporâneo e tradutor de Fernando Pessoa para hebraico. A leitura será em hebraico e o poeta Nuno Moura fará a leitura dos poemas em tradução portuguesa.

Além de uma vasta mostra e oferta de livros, a Livraria Byblos terá disponível ao público, durante toda a duração das «Letras do Mundo», uma selecção de discos de música judaica e israelita.

Byblos Amoreiras
Rua Carlos Alberto da Mota Pinto, 17
Lisboa

 

%d bloggers like this: