CONSELHOS EXTRAORDINÁRIOS – PELE IOETZ


Conselhos

Rabino Eliezer Papo, Editora Sêfer, 336 páginas (14x21cm, capa flexível), ISBN 85-85583-40-0, 2003 (2ª Edição 2010)

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Conselhos Extraordinários – Pele Ioetz

Conselhos Extraordinários (“Péle Ioêts”) é um dos mais aclamados livros de “Mussár”, a Ética Judaica, publicados até hoje. Fiel ao título deste seu maravilhoso trabalho, o Rabino Eliezer Papo (1785-1828) no abençoa com sábios conselhos de ordem prática que se aplicam a todas as situações cotidianas e relacionamentos interpessoais. Seus ensinamentos vêm da Torá, fonte primeira, e de todas as suas ramificações – o Talmud, o Midrash, a Halachá, a Hagadá, a Cabalá e o Chassidismo.

Profundo conhecedor da natureza humana, suas falhas e fraquezas, virtudes e potencial, o Rabino Papo tem o dom de falar à mente e ao coração, às pessoas simples e aos estudiosos. Suas palavras são impregnadas de amor e sua grande aspiração era queConselhos Extraordinários pudesse ser lido pelo maior número de pessoas. Que tão caro anseio seja atendido também nesta tradução inédita para o português.

Anúncios

A TORÁ DE ÉRETS ISRAEL – Judaísmo e Sionismo


A Torá de Érets

Rabino David Samson e Rabino Tsvi Iehuda HaCohen Kook, Editora Sêfer, 354 páginas (16x23cm, brochura), ISBN 85-85583-21-5, 1999

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

“A Torá de Érets Israel – Judaísmo e Sionismo

Ensinamentos do Rabino Tsvi Iehuda HaCohen Kook

O rabino Kook (lê-se Kuk) era o ideólogo dos partidários da não devolução de territórios de Israel aos árabes. Era filho único do rabino Avraham Yits’chac HaCohen Kook e a pessoa mais próxima a ele e a seus ensinamentos. Como Rosh-Yeshiva da Yeshivat Mercaz HaRav de Jerusalém, educou uma nova geração de israelenses a ver a Mão Divina na reconstrução da nação judaica em Israel.

Devotado à percepção que seu pai tinha da Torá e do povo judeu, o rabino Tsvi Iehuda dedicou a vida à edição e publicação dos muitos manuscritos de seu pai. O acanhado apartamento dele em Jerusalém tornou-se o centro espiritual do movimento de colonização de Israel. Os fundadores das novas colônias judaicas na Judeia e Samaria, Gaza e Colinas do Golã eram alunos do rabino Tsvi Iehuda.

Os mais proeminentes rabinos, Primeiro-Ministros, generais do Exército de Israel e Baalê Teshuva (judeus que retornaram ao cumprimento do judaísmo) de todas as partes de Israel visitavam assiduamente sua casa.

Este livro é um marco: pela primeira vez é publicada em português a obra do rabino Tsvi Iehuda. Seus ensinamentos sobre a Torá, Emuna (fé), Ahava (amor), Érets (Terra de) Israel, Sionismo, Holocausto, Gueula (redenção) e Mashíach (Messias) apresentam a abrangente Torá de Érets Israel sob luzes esclarecedoras e sem igual.

Esta obra reúne comentários que pretendem levar os leitores para a intimidade do Bet Midrash do Rav Kook, para sentir e compreender intensamente sua visão desta singular era de redenção que o rabino Kook soube inspirar a nação a perceber.

***

“Assim como as pedras usadas na construção do Templo não foram santificadas até ao término da obra, – da mesma forma, a construção da Terra de Israel é realizada em todos os segmentos da nação de Israel: pelos justos e pelos menos justos. Embora nós estejamos construindo com o que não é santificado – com todas as vicissitudes e dificuldades inerentes – , pouco a pouco todos os problemas desaparecerão e a santificação do Nome de Deus irradiar-se-á cada vez mais forte.”

Rabino Tsvi Iehuda HaCohen Kook

DEZENOVE CARTAS SOBRE JUDAÍSMO


Dezenove

Rabino Shimshon (Samson) Raphael Hirsch, Editora Sêfer, 140 páginas (14x21cm, capa flexível), ISBN 85-85583-34-7, 2002

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

“Dezenove” Cartas Sobre Judaísmo – The Nineteen Letters of Ben Uziel

Esta primeira obra do Rabino Hirsch (1808-1888) publicada em português apresenta sua profunda visão do judaísmo, através da troca de correspondências entre um jovem intelectual e seu filosófico rabino.

Seu conceito de ”Torá im Dérech Érets”, que criou uma ponte sólida entre a modernidade e o espírito e as práticas da Torá, revolucionou a educação judaica e o judaísmo no século 19 e é aplicado até hoje com enorme sucesso pela neo-ortodoxia, que cumpre os mandamentos Divinos integrada à sociedade laica. É um daqueles livros capaz de mudar toda uma vida!

***

Prefácio dos Tradutores:

Foi um privilégio trabalhar nesta obra excepcional do célebre rabino Shimshon (Samson) Raphael Hirsch Z’’L, a primeira a ser traduzida na íntegra para o português. Escrita originalmente em alemão, revela-se tão importante hoje quanto no século XIX, quando foi publicada a primeira a primeira vez.

Em nome da fidelidade absoluta ao conteúdo, utilizamos duas traduções do alemão para o inglês – uma feita pelo rabino Bernard Drachman, em 1899, e a outra, pelo rabino Joseph Elias, em 1995. Comparamos também o texto em português ao original alemão. Apesar da força do tema central, optamos por inserir algumas adaptações idiomáticas que, esperamos, ampliarão a compreensão das ideias expostas.

Com o mesmo objectivo, elaboramos uma introdução sobre a vida e a produção literária do autor. Fazem parte desta edição as notas explicativas do próprio rabino Hirsch (SRH), mais as notas da tradução norte-americana assinada pelo rabino Joseph Elias (JE), além das notas dos tradutores (NT). Cada carta também recebeu um título segundo sua característica mais marcante. Chegamos a estes títulos através de consultas a diferentes traduções para língua inglesa.

A edição final coube ao professor Jairo Fridlin, que manteve intacto o espírito do texto ao imprimir um tom mais coloquial à linguagem. Seu objectivo, não por acaso o mesmo autor, na época, foi o de incentivar o questionamento e o debate sobre os caminhos da religião entre os jovens. Porque este é um livro dedicado a eles.

Auro del Giglio

Ricardo Metzner

CELEBRANDO A VIDA


Celebrando a Vida

Rabino Jonathan Sacks, Editora Sêfer, 233 páginas (14x21cm, capa flexível), ISBN 978-85-7931-011-9, 2010

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Celebrando a Vida – Encontrando a felicidade em lugares inesperados

“Nessas reflexões, eu tento dizer o que é felicidade, como nós as criamos, como nós a perdemos e como, às vezes, passamos por ela sem reconhecê-la. A felicidade não está em outro lugar; ela está onde nós estamos. Não é algo que ainda não temos; nós já possuímos. Não é fantasia; é a realidade vivida de uma determinada maneira. A felicidade é parente próxima da fé.”

Logo depois da grande dor causada pela morte de seu pai, o Rabino-Chefe Lord Jonathan Sacks começou a aprender uma nova maneia de celebrar a vida. Descobriu que a felicidade mora, muitas vezes, em lugares inesperados dentro de uma família, de uma comunidade, das amizades e responsabilidades. Ele também a encontrou por meio de um relacionamento renovado com Deus que fala às nossas necessidades mais profundas.

Celebrando a Vida é um livro para pessoas de todas as crenças e de nenhuma. Ele nos ensina a ser mais humanos e a chegarmos, assim, mais perto de Deus.

***

Sobre o autor:

Rabino Lord Jonathan Sacks é, desde 1991, Rabino-Chefe da Grã Bretanha e Comunidade Britânica. Educado em Cambridge e Oxford, lecionou em universidades e liderou congregações na Inglaterra, em Israel e nos Estados Unidos.

Autor de vários livros, entre eles “Uma Letra da Torá” e “Para Curar um Mundo Fracturado”, publicados em português pela Editora Sêfer, ele vive em Londres, Inglaterra.

***

Outras obras do mesmo autor:

Uma Letra da Torá:

http://www.judaicaportugal.com//UMA_LETRA_DA_TOR_/p440356_1593190.aspx

Para Curar um Mundo Fracturado:

http://www.judaicaportugal.com//-PARA_CURAR_UM_MUNDO_FRACTURADO/p440356_1593078.aspx

TALMUD TORÁ


Graduation

 

TALMUD TORÁ

A Mitzvá (mandamento) de Talmud Torá – O Estudo da Torá – é um preceito fundamental do judaísmo. Os sábios ensinam-nos que a Torá é uma das três coisas sobre as quais o mundo se apoia, e que o “estudo da Torá supera todas as outras Mitsvót” em importância e na recompensa que encerra. As dimensões de conhecimento derivadas do estudo são teóricas e práticas, abstratas e concretas, uma orientação de vida.

O estudo da Torá é não só um meio mas um fim, uma componente essencial do judaísmo. A noção judaica de “um reino de sacerdotes e uma nação sagrada” apoia-se, no fato de o conhecimento judaico não estar limitado a uma casta instruída separada, mas ser incumbência de todos.

No estudo da Torá, há uma relação dialética entre demandas objectivas e afinidades pessoais; algum atalho plausível deve ser procurado, entre os dois. A pessoa deve ter em mente a diferença entre experiência e conhecimento.

Um elemento essencial, independentemente do assunto, é a regularidade do estudo, um compromisso inflexível com o estudo que deve ser em grupo, com um professor ou alguém mais experimentado. Um professor deve servir de mentor, mestre e guia.

Um tipo de conhecimento que é essencial é a linguagem das fontes, especialmente o idioma hebraico (mesmo que só a compreensão passiva), apenas confiar no “judaísmo traduzido” é perigoso tanto para as comunidades, como para os indivíduos.

É muito importante conhecer a Bíblia Hebraica – Tanach, se possível na sua totalidade. O que é essencial é o conhecimento do conteúdo global dos vários livros, os temas e as estórias.

Chumash (Torá) é coberto na totalidade uma vez por ano e cada porção lida e estudada semanalmente.

Outra área importante de estudo é a Halachá que oferece orientação para a maneira de proceder: leis de observância diária, como as da oração, Shabat, Cashrut, e Taharat Hamishpachá (pureza familiar). O Kitsur Shulchan Aruch é um dos pontos de partida para o estudo de todas estas leis e costumes.

Talmud (Torá Oral) e os seus comentários representam outra área significativa de estudo e aprendizado. A ignorância do Talmud é mais grave que a ignorância das escrituras, pois ele é a base para quase todas as áreas do judaísmo, que estão direta ou indiretamente ligadas a ele; dá equilíbrio ao espírito e restringe as inclinações mais extremas.

O estudo do misticismo judaico, a Cabala, apresenta um problema especial pois apesar de ser provavelmente o único sistema teológico judaico existente, não é uma disciplina em si mesma, mas está estritamente relacionada com a prática religiosa em geral. É um comentário (em certo sentido) sobre a Torá escrita e oral e não pode ser separada nem na teoria nem na prática, de todo o conjunto das Mitsvót. É falso e desorientado visualizar a tradição mística judaica separada do contexto maior do judaísmo como um todo.

Por último o estudo do Pensamento Judaico em suas muitas facetas.

O estudo da Torá é portanto, uma mistvá fundamental por direito próprio, da incumbência de todo judeu, enquanto viver.

 

***

Bibliografia:

Teshuvá – Um Guia para o Judeu Recém Praticante

Adin Even Yisrael (Steinsaltz), Editora Maayanot, 254 páginas (14×21 cm, brochura), ISBN 85-85512-21-0, 1994 (reedição de 2006)

Link: http://www.judaicaportugal.com/TESHUV_/p440356_1884963.aspx

 

A Mitzvá (mandamento, conexão) de Talmud Torá – O Estudo da Torá – é um preceito fundamental do judaísmo. Os sábios ensinam-nos que a Torá é uma das três coisas sobre as quais o mundo se apoia, e que o “estudo da Torá supera todas as outras Mitsvót” em importância e na recompensa que encerra. As dimensões de conhecimento derivadas do estudo são teóricas e práticas, abstratas e concretas, uma orientação na vida.
O estudo da Torá é não só um meio mas um fim, uma componente essencial do judaísmo. A noção judaica de “um reino de sacerdotes e uma nação sagrada” apoia-se, no fato de o conhecimento judaico não estar limitado a uma casta instruída separada, mas ser incumbência de todos.
No estudo da Torá, há uma relação dialética entre demandas objectivas e afinidades pessoais; algum atalho plausível deve ser procurado, entre os dois. A pessoa deve ter em mente a diferença entre experiência e conhecimento.
Um elemento essencial, independentemente do assunto, é regularidade do estudo, um compromisso inflexível com o estudo que deve ser em grupo, com um professor ou alguém mais experimentado. Um professor deve servir de mentor, mestre e guia.
Um tipo de conhecimento que é essencial é a linguagem das fontes, especialmente o idioma hebraico (mesmo que só a compreensão passiva), apenas confiar no “judaísmo traduzido” é perigoso tanto para as comunidades, como para os indivíduos.
É muito importante conhecer a Bíblia Hebraica – Tanach, se possível na sua totalidade. O que é essencial é o conhecimento do conteúdo global dos vários livro, os temas e as estórias.
O Chumash (Torá) é coberto na totalidade uma vez por ano e cada porção lida e estudada semanalmente.
Outra área importante de estudo é a Halachá que oferece orientação para a maneira de proceder: leis de observância diária, como as da oração, Shabat, Cashrut, e Taharat Hamishpachá (pureza familiar). O Kitsur Shulchan Aruch é um dos pontos de partida para o estudo de todas estas leis e costumes.
O Talmud (Torá Oral) e os seus comentários representam outra área significativa de estudo e aprendizado. A ignorância do Talmud é mais grave que a ignorância das escrituras, pois ele é a base para quase todas as áreas do judaísmo, que estão direta ou indiretamente ligadas a ele; dá equilíbrio ao espírito e restringe as inclinações mais extremas.
O estudo do misticismo judaica, a Cabala, apresenta um problema especial pois apesar de ser provavelmente o único sistema teológico judaico existente, não é uma disciplina em si mesma, mas está estritamente relacionada com a prática religiosa em geral. É um comentário (em certo sentido) sobre a Torá escrita e oral e não pode ser separada nem na teoria nem na prática, de todo o conjunto das Mitsvót. É falso e desorientado visualizar a tradição mística judaica separada do contexto maior do judaísmo como um todo.
Por último o estudo do Pensamento Judaico em suas muitas facetas.
O estudo da Torá é portanto, uma mistvá fundamental por direito próprio, da incumbência de todo judeu, enquanto viver.
***
Bibliografia:
Teshuvá – Um Guia para o Judeu Recém Praticante
Adin Even Yisrael (Steinsaltz), Editora Maayanot, 254 páginas (14×21 cm, brochura), ISBN 85-85512-21-0, 1994 (reedição de 2006)

A ARTE DA TESHUVÁ – COM A TRADUÇÃO INTEGRAL DE “LUZES DE RETORNO”


Capinha arte teshuvá

Rabino David Samson e Tsvi Fishman/Rav kook, Editora Sêfer e Bnei Akiva, 384 páginas (16×23 cm, capa dura), ISBN 85-85583-65-7, 2004

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Orot Hateshuvá – Com a tradução integral de Luzes de Retorno do Rabino Avraham Yitschac Hacohen Kook

“A Teshuvá é o sentimento mais saudável da alma. Uma alma saudável, em um corpo saudável, inevitavelmente chegará à grande felicidade da Teshuvá, sentindo em si o maior prazer da natureza.”

Luzes de Retorno 5:1

***

Rabino Avraham Yitschac HaCohen Kook (1865-1935)

Ainda como menino-prodígio no estudo da Torá na Europa Oriental, o menino Kook exibia grande intelecto, alma e personalidade. Além da maestria conceitual em lei e filosofia judaicas, mergulhou no calor e na mística chassídica. Ansioso pela libertação nacional judaica, o retorno à Terra Santa após dois mil anos , adoptou o hebraico como sua língua no dia-a-dia. O rabino Kook abandonou as proeminentes posiçlões rabínicas e tornou-se de todo coração, rabino de uma pequena comunidade judaica em Iafo, na Terra de Israel. Mais tarde assumiu o posto de Rabino-Chefe de Jerusalém e de primeiro Rabino-Chefe da Terra de Israel. Fundou a maior academia rabínica de Israel, Ieshivat Mercaz Harav, com a qual cumpriu seu sonho de formar jovens líderes profundamente religiosos, com grande actuação nos assuntos humanos e que se sentem parte integrante de sua nação. O rabino Kook é considerado um pensador moderno original e destacado que mistura psicologia, sociologia e religião em uma visão de mundo unificada e abrangente.

ALÉM DO ESPELHO


Capinha alem do espelho

Gina Manolson, Editora Sêfer, 104 páginas (14×21 cm, brochura), ISBN 85-85583-39-8, 2002

PORTUGAL: Informações e encomendas através do email euronigma@sapo.pt

***

Além do Espelho – Um Enfoque Actual sobre Tsniut

Se você acha que Tsniut – termo judaico, em geral traduzido por “discrição” – significa somente:

•Regras e preceitos relacionados ao vestuário.

•Um tema dirigido exclusivamente às mulheres.

•Algo cujo propósito principal é manter a cabeça dos homens em seu devido lugar.

Este livro certamente vai mexer com você.

A Tsniut é para ambos, homens e mulheres.

Começa quando você se vê sob uma luz diferente. E, pouco a pouco, pode mudar profundamente a sua vida, mostrando-lhe como chegar ao mais íntimo do seu ser.

***

Cada geração tem os seus próprios desafios, seus testes específicos, sua missão a vencer. Qual será a nossa?

Será que a nossa forma de nos vestir e de nos expormos ao mundo não é um assunto particular de cada um?

Como cidadãos do mundo moderno, somos educados, desde a infância, a quebrar as barreiras entre nós e o mundo exterior, a revelar tudo, com a finalidade de atrair as atenções e sermos abertos em todas as áreas.

Mas será que não nos esquecemos de abrir o caminho ao nosso próprio espaço interior? Ainda existe espaço reservado para nós mesmos? Recato e privacidade são palavras obsoletas?

Conseguir viver uma vida plena, que proporcione harmonia entre o interior e o exterior, é o nosso desafio.

Abordando inúmeras questões – do código de leis da Torá à psicologia humana, de perguntas polémicas a pontos de vista inovadores – , este livro entrega-nos a “Tsniut” (que pode ser descrita por discrição) como a chave que abre caminhos para manter a integridade do povo judeu no mundo moderno, e revela que o “sucesso” se encontra onde menos esperamos.

***

Uma visão reveladora sobre a “Tsniut”. “Além do Espelho faz com que vejamos na discrição, no recato, não somente regras e leis, mas uma forma de viver. Abre um canal para que o nosso íntimo possa ver o mundo de forma compatível com nossa essência, libertando-nos de aparências e do superficial.”

Rabino Raphael Shammah

***

Sobre a Autora:

Gina Manolson (née Marilyn Fisch) nasceu e cresceu no nordeste dos EUA, graduando-se com louvor em música pela Universidade de Yale. Estudou mais tarde na Neve Yerushalayim College for Women, passando a viver em Jerusalém. Por cinco anos foi supervisora residente do Heritage House, um albergue da juventude judaico na cidade velha. Deu aulas no programa Discovery, da Jerusalem Fellowships; no programa para alunos estrangeiros da Michlalah Jerusalem College for Women; no Beit Midrash Program, da universidade Hebraica de Jerusalém; e em outros lugares. Actualmente é professora do Isralight Institute. É também a autora de  The Magic Touch; A Candid Look at the Jewish Approach to Relationships.

%d bloggers like this: